Vida Cristã

Escrito por Elton Melo

logo sem dons espiritoIntrodução - A palavra dom aparece 17 vezes no Novo Testamento e a raiz grega χαρισμα [lê-se charisma], carisma em português, representa literalmente uma graça, um favor; um presente, um presente da graça de Deus. Muitas pessoas confundem dom com talento, e até mesmo não compreendem a importância do uso correto dos dons na Igreja, que é um corpo e necessita da atuação eficaz dos seus membros.

A aplicação coerente da diversidade dos dons que é dada por um só Espírito, faz com que a Igreja seja rica e abundante na graça e no poder de Deus. É dessa forma que a Igreja torna-se apta a cumprir o seu papel, uma vez que seus membros não são meros espectadores, mas participantes ativos da obra. Paulo, ensina que a Igreja não deve ser ignorante nesta questão, pois a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil e que a unidade é atingida pelo Espírito, que distribui os dons de maneira correta a cada um, para que os membros usem da melhor forma para edificação de toda a membresia.

Os conflitos e problemas que surgem na Igreja, em geral, tem a ver com a falta de entendimento no uso dos dons e na forma com que os buscamos. Há muita gente com boa vontade tentando fazer algo para o qual não foi chamado pelo Senhor, e outros, sem iniciativa porque ainda não identificaram corretamente o seu dom. Ouvi, uma vez de um pastor muito simples, uma grande verdade, a de que na Igreja não existe ninguém “desdonzado”. É uma grande verdade! A todos os que chama o Senhor os capacita. Então nesta lição, compreenderemos quais são os dons disponíveis, como buscá-los e como exercê-los.

1. CONHECENDO OS DONS

Na Bíblia há três textos sobre a existências de dons. Um dos maiores teólogos nesta área, Peter Wagner, lista os dons da seguinte forma: em Romanos 12, sete dons: 1- Profecia, 2- Serviço, 3- Ensino, 4- Exortação, 5- Contribuição, 6- Liderança, e, 7- Misericórdia. Ao lermos 1 Coríntios 12, encontraremos: 8- Sabedoria, 9- Conhecimento, 10- Fé, 11- Curas, 12- Milagres, 13- Discernimento de espíritos, 14- Línguas, 15- Interpretação de línguas, 16- Apostolado, 17- Socorro, e, 18- Administração. Já o texto de Efésios 4, mostra apenas dois: 19- Evangelismo, e, 20- Pastorado. Além deles, completam esta lista, dons que são mencionados no Novo Testamento mas que não se encontram exatamente num contexto de dons espirituais, porém, cremos que eles existem: 21- Celibato, 22- Pobreza voluntária, 23- Martírio, 24- Hospitalidade, 25- Missões. Embora esta abordagem seja limitada, percebe-se que a riqueza de dons nas Igrejas espalhadas pelo mundo possam ter outros dons presentes. Muitos teólogos acrescentam mais dois dons: 26- Intercessão e, 27- Exorcismo.

Nosso espaço aqui é curto para detalhar cada dom, por isso dispus no site o detalhamento completo de cada um dos 27 dons elencados. Por favor, acesse e leia: www.alcancevitoria.com.br/est/vida-crista/787-listadons

Então, de acordo com Peter Wagner, dom espiritual é um atributo especial, dado pelo Espírito Santo a cada membro do corpo de Cristo, de acordo com a graça divina, para ser usado no contexto do corpo.” Assim, o homem natural, por mais que tente e possa imitar, nunca receberá o genuíno dom. (Ef 4.8)

Já o talento humano, significa o acúmulo de aptidões naturais e adquiridas, que o ser humano produtivo precisa para o desempenho de suas funções e a realização de seus projetos de vida. O talento tanto pode ser nato quanto adquirido por meio do estudo e do desenvolvimento de habilidades específicas.

Aplicação

Como você se sente quando percebe que está sendo manipulado por alguém?

2 – OS DONS SÓ PODEM VIR DO ESPÍRITO SANTO

Uma pessoa pode ser talentosa e no entanto, sem a ação do Espírito Santo, este talento não serve para edificação da Igreja. Na Igreja o talento só é bom, se crente está submisso à ação do Espírito Santo. Um dos grandes problemas da Igreja é que tem muita gente querendo receber dons no estilo “microondas”, ou “miojo”, pronto em três minutos. A pessoa vai a uma conferência e acha que num relâmpago as coisas acontecem. Em Atos 8.5-24, lemos que havia em Samaria um homem (Simão) que havia exercido a "arte mágica" e que se mostrava ao povo como se fosse um deus. Mas este homem se converteu, com a pregação de Filipe, que cheio do Espírito Santo, tinha chegado à cidade e operado ali muitos milagres, sinais e prodígios, ao ponto da arte mágica de Simão parecer amadorismo. Lemos, que após ser batizado, Simão ficava atônito pelo operar do Espírito Santo.

Quando Pedro e João, foram a Samaria, perceberam que os irmãos ali batizados, não tinham recebido ainda a plenitude da manifestação do Espírito e então impuseram as mãos e estes receberam o batismo com o Espírito Santo. E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro, para também ter este dom. Suas verdadeiras intenções vieram à tona imediatamente. Shazam! Aquilo era magia poderosa e ele também precisava tê-la; custasse o que custasse! Assim ele cometeu um grande erro ao tentar comprar o "segredo" daquela capacidade sobrenatural.

Nestes dias, também tem muita gente querendo comprar o dom, oferecendo valores, serviços, presentes e até mesmo regalias a um pregador famoso, para ter o dom que este parece ter ou demonstra. Lembre-se que Deus jamais nos dará dons sem um propósito para seu uso na edificação. Dons e talentos, sem caráter transformado e renovado faz do crente um manipulador. Antes de conceder o dom, o Espírito Santo trabalha no caráter de um crente. O acesso aos dons genuínos não pode ser senão pela vida de santidade e consagração diária ao Senhor. Portanto, pare de buscar superficialidade e aplique-se nas doutrinas espirituais: JOB – jejum, oração e bíblia!

Aplicação

Porque pessoas correm atrás de profecias e revelação ao invés de buscarem no Senhor?

3 – O EXERCÍCIO SAUDÁVEL DOS DONS NA IGREJA

Todo cristão tem um papel importante a desempenhar para que os dons possam ser usados na Igreja de forma que glorifiquem ao Senhor e contribuam para o avanço da obra. Para isso, o primeiro passo é descobrir quais os dons que o Espírito Santo lhe tem dado. Uma vez que conhece os seus dons, você irá parar de “enterrá-los”. Não há nada pior que uma pessoa tentando usar os seus dons na área errada na Igreja. O resultado, quase sempre, é frustrante pois não basta boa intenção e vontade, é preciso fluir nos dons.

O segundo passo, é entender que embora tenhamos dons específicos, não temos o direito de fugir de nossa responsabilidade. Muitos se “escondem” diante de um problema alegando que não tem dom para aquilo a que estão sendo desafiados. Todo cristão, precisa estar pronto para exercer qualquer papel, em casos de necessidade emergente na Igreja, pois nem sempre a Igreja terá os melhores líderes ou os mais capacitados para todos os ministérios (principalmente novas igrejas e campos missionários). Há ainda aqueles que querem fugir das responsabilidades comuns do cristão com a Igreja: exortar, interceder, evangelizar, socorrer (apesar de outros terem este dom) e etc. Num time de futebol, há pessoas com habilidades especiais, como os que jogam na defesa, mas isso não é um impedimento para que alguns zagueiros tentem e marquem algum gol. Eles nunca serão excelentes centroavantes, mas podem contribuir.

O terceiro passo é compreender que a finalidade dos dons sobre sua vida é você seja operante na Igreja, para servir aos outros e nunca para seu próprio benefício. Para isso, você precisa compreender e desmistificar alguns conceitos:

  1. Que somente alguns recebem dons – todos são escolhidos e tem direito de acesso aos dons. Depende da vontade de Deus e da sua busca;
  2. Que meu dom é exclusivo e posso usar como quiser – O objetivo é a edificação do corpo de Cristo e não ser manipulado a bel prazer;
  3. Sentir-se melhor que outro – Deus não está interessado no seu sucesso pessoal ou na sua autopromoção. Os dons são dados para servir ao outro e devemos dar conta da forma que os servimos, na igreja local;
  4. Não há dons melhores ou mais categorizados – Muitos acham que todos deveriam ter o mesmo dom que ele que tem. Um exemplo é a pessoa que tem dom de evangelizar e acha que todo mundo tem de evangelizar; outro tem dom de misericórdia, socorro, e acha que todos na igreja tem que adotar um mendigo, uma criança órfã, um cachorro na rua, etc...;
  5. Muitos são auto-iludidos – querem tanto um dom, que agem como se o tivessem e causam frustração e perda de tempo. Embora você deva buscar, lembre-se que quem dá é o Espírito Santo e ele o faz conforme “Lhe apraz” (I Co12.11).

Por outro lado, o uso correto dos dons na Igreja, resultará em:

  1. Amor genuíno na congregação – quando o dom é exercido com amor (ágape) o resultado será uma igreja local que recebe e desfruta do amor de Deus e uns aos outros saudável, construtivo e permite uma atmosfera de cuidado mútuo e bênçãos recíprocas. As pessoas ficam mais “leves”, menos religiosas e mais centradas na Obra que Cristo está fazendo em suas vidas;
  2. Cada pessoa descobre o seu lugar no corpo – você descobre e usa seus dons no papel correto que deve desempenhar, sem ficar cobrando os outros ou tentando manipular as pessoas;
  3. A Igreja é aliviada de nomeações para cargos- Ao realizar uma assembleia para eleição de cargos, os candidatos surgem naturalmente, para aquilo que seus dons possam contribuir. É triste quando uma pessoa que não tem nem chamado, nem dom, assume um cargo para o qual nem tem vocação;
  4. Melhora a autoestima de cada crente – quando Deus atua na sua vida por meio dos dons, você percebe o seu lugar na Igreja e percebe o quanto cada pessoa é importante para o Reino de Deus;
  5. Crescimento saudável da Igreja local – pessoas certas, nos lugares certos, pelos motivos corretos, segundo a vontade de Deus, resultarão em sinergia, cooperação e crescimento qualitativo e quantitativo do rebanho do Senhor.

Há uns anos, escrevi um manual para os obreiros da Igreja onde estava trabalhando, acesse e leia e, se servir, use na sua vida e na Igreja local: www.alcancevitoria.com.br/est/vida-crista/131-dons-comousar

Aplicação

Relate para os demais uma experiência positiva que você experimentou com o uso correto dos dons ai na sua Igreja.

Conclusão

Agora você descobriu os dons que operam em sua vida, qualquer função ministerial que você vier a assumir, será gerenciada pelos dons que o Pai lhe deu. Ao mesmo tempo, continue buscando e despertando os dons que existem em você. Em 2 Timóteo 1.6, Paulo encoraja Timóteo a despertar o dom que existe nele. Nós somos responsáveis pelo desenvolvimento dos nossos dons. Esta dedicação irá leva-lo a ir mais profundo no relacionamento com Deus. Impacte positivamente a sua Igreja local aplicando com sabedoria os dons que tem recebido!


 

Referencial bibliográfico

 BRANDT, Robert L. Dons Espirituais: livro de estudo autodidático. Global University. Springfiled (USA), 1978 – livro disponível para baixar e imprimir em http://portugues.globalreach.org/portugues/images/S5151pt-PT_Entire.pdf

 FRANZE, Heinz Siegfried. Dons do Espírito Santo. Livro digital disponível em http://www.teologiapelainternet.com.br/livros/003a.pdf

 MELO, Elton. Estudos de dons e vida cristã. Conteúdo digital. http://www.alcancevitoria.com.br/est/vida-crista, acessado em setembro de 2016

 STORMS, Sam. Dons Espirituais – uma introdução bíblica, teológica e pastoral. Vida Nova, São Paulo. 2016

 WAGNER, Charles Peter. Descubra os seus dons espirituais. Abba Press, São Paulo, 1995

Tenho certeza que a lição despertou em você o desejo de descobrir e desenvolver seu dom. Para isso, coloquei no site um teste de dons, onde você descobrirá os seus dons dominantes e os subordinados, através de 75 perguntas simples (o teste demora de 40 a 60 minutos). Acesse, imprima e execute: www.alcancevitoria.com.br/est/vida-crista/788-teste-dons


Texto publicado na RED - Revista de Estudos Bíblico, lição 13, edição 241 do 1º trimestre de 2016, pela Editora Batista Independente.