Quais são os dons espirituais

Na Bíblia encontraremos muitos textos referendando a existências de dons espirituais. No entanto, há três listas chave e, conforme a metodologia usada por Peter Wagner,  estes dons são elencados da seguinte forma: em Romanos 12, encontraremos sete dons: 1- Profecia, 2- Serviço, 3- Ensino, 4- Exortação, 5- Contribuição, 6- Liderança, e, 7- Misericórdia. Ao lermos 1 Coríntios 12, encontraremos: 8- Sabedoria, 9- Conhecimento, 10- Fé, 11- Curas, 12- Milagres, 13- Discernimento de espíritos, 14- Línguas, 15- Interpretação de línguas, 16- Apostolado, 17- Socorro, e, 18- Administração. Já o texto de Efésios 4, mostra apenas dois: 19- Evangelismo, e, 20- Pastorado. Além deles, completam esta lista, dons que são mencionados no Novo Testamento mas que não se encontram exatamente num contexto de dons espirituais. Porém, cremos que eles existem:

21- Celibato, 22- Pobreza voluntária, 23- Martírio, 24- Hospitalidade, 25- Missões. Como cremos que os dons não estão esgotados nas menções bíblicas. Com certeza, a abordagem é ilimitada, e não duvidamos que haja muitos mais dons nas Igrejas espalhadas pelo mundo. Portanto, muitos teólogos acrescentam mais dois dons: 26- Intercessão e, 27- Exorcismo.

Para construir esta lista de dons, usamos, quase que “ao pé da letra”, as mesmas definições que Peter Wagner usa no livro "Descubra os seus dons espirituais - 2ª ed. - Abba Press", apenas acrescentamos algumas inserções explicativas que esclarecem melhor cada um dos dons. O critério de definição se fundamentou nas compressões teológicas mais aceitas em nossas Igrejas evangélicas brasileiras, invariavelmente fundamentalistas. Portanto, não colocamos em dúvida a existência ou não dos dons espirituais. Além disto, uma boa parte de nossa compreensão de cada dom se estabeleceu na mescla destas compressões teológicas com as experiências e “feedbacks” (respostas das experiências e teorias) que colhemos ao longo do ministério e serviço na Igreja do Senhor Jesus Cristo.

1 – PROFECIA

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para receberem e transmitirem alguma mensagem imediata de Deus ao Seu povo, através de alguma declaração divinamente ungida.
Que fique bem claro que este dom não se manifesta de forma alguma apenas por meio de mensagens a respeito do futuro, como muitos pensam. Antes, é principalmente um chamado ao povo de Deus ao conserto, à obediência e ao reparo no caminho que Deus traçou para a Igreja. Portanto, a profecia pode ser transmitida por meio de pregações, declarações inspiradas, cânticos espirituais, louvor, mensagem escrita (livros, artigos, cartas, etc) ou mesmo através do ensino.

2 – SERVIÇO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo, a fim de identificar as necessidades não satisfeitas de alguma tarefa relacionada à obra de Deus, e fazendo uso de recursos disponíveis para obter os alvos desejados. São pessoas que gostam de permanecer atrás dos “bastidores”, ou seja, ficam contentes com suas tarefas mesmo que seus nomes não sejam citados ou se tornem notórios.

3 – ENSINO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para comunicarem informações relevantes para a saúde e o ministério deste mesmo Corpo e seus membros, fazendo-o de tal modo que outros sejam capazes de aprender. Além disso, o dom do ensino exige a percepção de se estar produzindo nos indivíduos a transformação de suas mentes e, consequentemente, de seus comportamentos e atitudes perante Deus e o mundo. Para tal, é necessário constante análise, acertos e cuidados “pastorais” com as pessoas envolvidas.

4 – EXORTAÇÃO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para ministrar palavras de conforto, consolo, encorajamento, ânimo e conselho a outros membros do Corpo, de tal modo que estes se sentem ajudados e curados. Um bom exemplo de possuidor deste dom é Barnabé (At.4:36). Porém, ninguém deve achar que só deve exortar quem possui tal dom (veja Hb.3.13).

5 – CONTRIBUIÇÃO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para contribuírem com seus recursos materiais para a obra do Senhor, e isso com liberalidade e satisfação. Geralmente são pessoas que contribuem muito mais do que a média das pessoas numa comunidade.

6 – LIDERANÇA

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para estabelecer alvos harmônicos com o propósito de Deus para o futuro, transmitindo esses alvos a outros de tal modo que, voluntária e harmoniosamente, operem juntos para concretizar tais alvos. São pessoas que possuem seguidores voluntários, sem que precisem se esforçar para isto ou se utilizar de pressões, quaisquer que sejam elas. Não manipulam e não são ditadores, no entanto, também não têm suas opiniões e ordens diluídas pelas exigências e contraposturas dos liderados. Delegam e sabem qual a visão de Deus para poderem fazer isto.

7 – MISERICÓRDIA

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para que sintam genuína empatia e compaixão pelas pessoas, tanto crentes quanto incrédulas, que estejam sofrendo aflições físicas, mentais ou emocionais, e para traduzirem essa compaixão em atos feitos com alegria, que refletem o amor de Cristo e aliviam o sofrimento humano. Não sofrem do mesmo mal dos seus ajudados, ou seja, não possuem o mesmo sofrimento do que está sofrendo, antes, se coloca no lugar do sofredor como se fora ele, sofre com ele como se tivesse as mesmas dores mas tendo consigo o “remédio” que o outro não tem e necessita naquele momento.

8 – SABEDORIA

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para sondarem a mente do Espírito Santo de modo a receberem discernimento sobre como o conhecimento dado pode ser melhor aplicado às necessidades específicas que vão surgindo no Corpo de Cristo. Se prende à aplicação prática da verdade. São pessoas que possuem a mente prática e solucionadora. Têm pouca dificuldade em decisões que exigem análises críticas e que, muitas vezes, precisam ser tomadas imediatamente. Normalmente sabem quais serão os resultados das decisões que são tomadas e a formação acadêmica não é preponderante.

9 – CONHECIMENTO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para que descubram, acumulem, analisem e esclareçam informações e idéias pertinentes ao crescimento e o bem-estar dos membros da Igreja. Se prende à descoberta teórica da verdade. São pessoas analíticas e possuem um grande poder de concentração, além de, normalmente, preferirem trabalhar individualmente. Geralmente são eruditos e com um grande acúmulo de cultura. Não se contentam com a simples leitura devocional da Bíblia e nem se prendem a assuntos puramente teológicos, navegando por assuntos diversos que contribuam para a compreensão do Reino de Deus.

10 – FÉ

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para poderem discernir, com extraordinária confiança a vontade e os propósitos de Deus, quanto ao futuro de Sua obra. São pessoas que tem a capacidade de superarem a situação ou estado presente de dificuldades e impossibilidades, crendo e intuindo a certeza de uma inversão da situação ou estado. Um bom exemplo encontramos na história pessoal de George Muller.

11 – CURAS

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para que sirvam de intermediários para que Ele cure enfermidades e restaure a saúde, à parte do uso de meios naturais (remédios, médicos, hospitais, tratamentos, etc,). Pusemos este dom no plural porque cremos que ele opera em diversas esferas e não só na física. Sua ação se dá sobre enfermidades espirituais ou mesmo emocionais. Há muitas variedades do dom para diferentes tipos de enfermidades (cura de memórias, cura interior, dores físicas, deformações, deficiências, etc).

12 – MILAGRES

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para serem intermediários através de quem Deus realiza atos poderosos, sendo que os observadores podem notar a alteração do curso normal da natureza.
Também este dom definimos no plural porque cremos que ele opera de diversos modos e em diferentes situações, até mesmo na diversidade de culturas que encontramos em outras nações e povos, onde a cosmovisão, ou seja, a maneira de encarar o mundo e seus valores, é diferente. Portanto, o que é milagre para um povo pode não ser para outro. De qualquer modo, o contexto de onde o dom está operando deve ser respeitado e não ser colocado em dúvida quanto a sua autenticidade, já que isto ocorre pela glorificação de Deus e, geralmente por muitas conversões de pessoas que testemunharam o milagre.

13 - DISCERNIMENTO DE ESPÍRITOS

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para saberem com segurança, se determinado comportamento é na realidade divino, humano ou satânico. Frequentemente, reconhecem, pelo Espírito Santo, que espécie ou que características possui o determinado espírito no momento de sua ação e intervenção. Pedro possuía este dom (At.5:1-10 e At.8:23).

14 – LÍNGUAS

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para: (a) falar a Deus em uma língua que nunca aprenderam para sua própria edificação ou; (b) receber e comunicar uma mensagem imediata de Deus a Seu povo, mediante uma declaração divinamente ungida, em uma língua que nunca aprenderam. Este se trata de um dos dons mais complicados da história da Igreja, principalmente porque é o dom que mais sofre da “projeção dos dons”, ou seja, quem o possui pode pensar que este é um dom para toda a Igreja. Este dom pode ser dividido em duas funções: A) privada: Para auto-edificação. Quando não há intérprete, não deve ser usado publicamente nos cultos, exceto em reuniões privadas, onde todos os membros de uma Igreja, antecipadamente, entraram em acôrdo para o uso em voz audível como sinal de júbilo e alegria. B) pública: Sempre acompanhada de interpretação para a edificação da Igreja ou de algum incrédulo que esteja presente.

15 - INTERPRETAÇÃO DE LÍNGUAS

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para tornar conhecida e compreendida, na língua pátria, alguma mensagem que tenha sido dita em línguas.
Geralmente é exercido por pessoas que também possuem o dom de línguas, e muitas vezes, interpretam sua próprias mensagens faladas em línguas.

16 – APOSTOLADO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para assumir e exercer uma liderança geral sobre certo número de Igrejas, com uma extraordinária autoridade quanto às questões espirituais, que é espontaneamente reconhecida e apreciada por todos dessas Igrejas. Embora ocorra freqüentemente, não podemos confundir este dom com o dom de missões. Também não podemos confundir o dom apostólico com as funções dos apóstolos de Jesus que se efetuaram num contexto restrito e determinado historicamente. Podemos dizer que este é o único dom que não pode ser recebido ou exercido sozinho, isto é, ninguém recebe de repente o dom do apostolado. Normalmente, as pessoas que o tem, já passaram por experiências com outros dons fundamentais para a liderança, administração e supervisão de trabalhos em Igrejas ou denominações inteiras.

17 – SOCORROS

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para investir os talentos que tem, na vida e no ministério de outros membros do Corpo, capacitando assim a pessoa ajudada a aumentar a eficácia dos seus dons espirituais.

18 – ADMINISTRAÇÃO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para entenderem claramente os alvos imediatos e a longo prazo de alguma unidade particular do Corpo, a fim de traçar e executar planos eficazes para a concretização dos objetivos. Diferente do ministério de administração, o dom de Administração nem sempre se restringe a funções apenas nesta área administrativa. Na verdade, este dom aparece na Igreja em muitas áreas ministeriais, seja na Música, Ensino, Pastorado, etc.

19 – EVANGELISMO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para que compartilhem do evangelho com os incrédulos, de tal modo que homens e mulheres venham a tornar-se discípulos e membros responsáveis do Corpo de Cristo. Este é outro dom que sofre excessivamente da “projeção dos dons” (explicado no dom nº 14). Isto ocorre porque muitos que possuem o dom de evangelismo imaginam que toda Igreja deveria possuí-lo, ou pelo menos, deveriam evangelizar tanto quanto eles. Com certeza, todos sabemos de nossa responsabilidade de testemunhar Cristo. Porém, nem todos entre nós tem suas atenções na vida centralizadas em situações de evangelização, característica exclusiva do evangelista. Estes, normalmente não fazem muito esforço para convencerem pessoas a se entregarem aos pés de Cristo (ex: Billy Graham).
Cremos que este dom só é completo quando o evangelista é também um discipulador das pessoas que leva à Cristo. Entregar folhetos evangelísticos é uma atividade bastante saudável para introduzirmos muitos crentes ao serviço de testemunho, no entanto, é duvidoso que esta atividade seja realmente evangelismo ou um trabalho do evangelista. Os resultados são escassos, geralmente impossíveis de serem mensurados e o objetivo principal da evangelização, ou seja, uma situação de real conversão e discipulado, é perdido.

20 – PASTORADO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para assumirem uma responsabilidade pessoal, a longo prazo, pelo bem-estar espiritual de um grupo de crentes. Nossa visão acerca do pastorado é bem diferente da visão já ultrapassada de que toda função administrativa e força de liderança deve estar centralizada nas mãos de um só homem, comumente denominado Pastor. Ao contrário, entendemos que o dom do pastorado tem fundamentos completamente diferentes da função do pastorado. Há muitos pastores que simplesmente não possuem o dom pastoral, e, portanto, não sabem cuidar de pessoas. Por outro lado, há pessoas “comuns” na comunidade que possuem este dom e sabem cuidar muito bem de pessoas, apesar de não terem a capacidade de assumir a liderança de uma Igreja. Isto quer dizer que um pastor, para assumir sua função, não precisa necessariamente ter o dom do pastorado, porém, deve delegá-lo a quem o possui. Do mesmo modo, um membro da Igreja não precisa ser o pastor da Igreja para cumprir o seu dom de pastorado, antes, deve esperar que o seu pastor ou o seu líder direto, lhe delegue este serviço.

21 – CELIBATO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para permanecerem solteiros e apreciarem este estado, por poderem dedicar mais tempo e energia para a obra de Deus na Igreja; podem permanecer sem sofrer tentações sexuais insuportáveis. Se você, neste exato momento é solteiro, e, caso se apresentasse uma oportunidade razoável para o casamento, você o faria imediatamente? Se você foi um daqueles que respondeu um grande SIM para esta questão, então, é muito provável que você não seja um portador deste dom do celibato. Na realidade, bem poucas pessoas possuem este dom, pelo fato de que, na maioria de nós, o desejo de algum dia chegar ao casamento e constituir uma família ainda é muito forte. As pessoas que tem este dom costumam suportar, sem a mínima perturbação, os impulsos sexuais ou afetivos diante de um parceiro do sexo oposto. Além disto, comumente adoram o tempo que possuem para dedicarem à Deus mais do que dedicariam a uma família.

22 - POBREZA VOLUNTÁRIA

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para que renunciem voluntariamente aos confortos e luxos materiais, e adotem um estilo de vida equivalente ao daqueles que vivem na pobreza e miséria, dentro de uma certa sociedade, a fim de servirem a Deus com maior eficiência. É claro que as pessoas que possuem este dom são voluntários em relação ao ambiente de pobreza, o que é bem diferente de quem se encontra em estado de pobreza. De outra forma, pessoas que desejam ou preferem uma certa posição de posses e certo luxo, não possuem este dom. Não queremos dizer aqui alguém rico, pelo contrário, mesmo alguém muito rico e com muitas posses, pode possuir este dom e viver em absoluta simplicidade e pobreza em prol de outros pobres.

23 – MARTÍRIO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para sofrer pela fé até a morte, e ao mesmo tempo em que exibir uma atitude jubilosa e vitoriosa, que redunda na glória de Deus.
Este dom se trata de uma capacitação do Espírito bastante rara, principalmente porque, invariavelmente, só pode ser usado uma só vez, quando na morte do possuidor do dom. São pessoas que tem a capacidade de sofrerem, serem torturadas e até morrerem pela fé, ou pelo testemunho de Cristo. Sem dúvida, a maioria de nós fugiria de tal evento, o que não seria nada anormal ou estranho. Porém, estes semeiam o evangelho entregando suas próprias vidas, (ex: Estevão).

24 – HOSPITALIDADE

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para proverem abrigo e uma calorosa recepção para aqueles que estão necessitados de alimento e abrigo. Aqui não se trata da hospitalidade comum que todos nós cristãos devemos oferecer uns aos outros. Mais do que isto, as pessoas que possuem este dom tem uma capacidade incomum de oferecerem hospitalidade a qualquer pessoa que precise, sem, no entanto, perderem a liberdade familiar. Fazem isto numa frequência muito maior do que a maioria de nós doando todo o seu tempo aos hospedes.

25 – MISSÕES

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para ministrarem, em uma segunda cultura, quaisquer outros dons espirituais que tenha recebido. Certamente está implícito nesta segunda cultura a facilidade de aprender outras línguas e a capacidade de adaptação a outros costumes que possuem as pessoas que tem este dom. Por isto, missões não se adequa a qualquer pessoa, apesar de sabermos que é um dom muitas vezes cobrado dos membros de uma Igreja (“projeção dos dons”).

26 – INTERCESSÃO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para estarem em oração por longos períodos de tempo sobre bases regulares e sistemáticas de intercessão, recebendo respostas frequentes e específicas para as sua orações, em um grau muito maior do que aquilo que se espera de um outro crente. Isto, porém, não significa que a responsabilidade de intercessão seja limitada aos possuidores deste dom. Todos nós devemos estar intercedendo, ainda que não com a mesma frequência e com a mesma dedicação de tempo e esforços para tal.

27 – EXORCISMO

É a capacidade especial que Deus dá a certos membros do Corpo de Cristo para expulsarem demônios e espíritos malignos com maior frequência e eficácia do que se espera de qualquer outro crente.
Também devemos estabelecer que, com relação a este dom, apesar de não possuirmos a mesma eficácia de quem o possui, todos nós temos a capacidade de expulsar e lutar contra demônios e outras potestades na autoridade do nome de Jesus. Este é um dom que deve preferencialmente operar em conjunto com o dom de Discernimento de Espíritos. Isto porque há ainda muitos crentes que conseguem ver “demônios” e suas influências em todo lugar.
Nem tudo é culpa do Diabo. Quem possui este dom deve estar ciente de que as pessoas tem envolvimentos pecaminosos e satânicos por vontade própria, e por isto, não devem ser isentadas de suas culpas. O que elas precisam é da misericórdia de Deus, e, para a eficiência da libertação de demônios, além do exorcismo, precisam beber do melhor remédio que Deus proveu para a liberdade total acontecer na vida delas, isto é, a submissão ao senhorio de Jesus Cristo.

Conclusão

Procure verificar com cuidado cada um dos dons e tire todas as suas dúvidas com o professor. Acrescente as suas próprias experiências com os seus dons nas oportunidades que você tiver para falar em aula e veja se eles se encaixam com as definições acima.


Imprimir   Email
Encontrou um erro de digitação? Por favor, selecione-o e pressione Ctrl + Enter.