Vida Cristã

Escrito por Peter Amsterdam

Buscou a Deus... Enquanto buscou ao Senhor, Deus o fez prosperar.[1] - Quem deseja estar em forma fisicamente tem de comer, exercitar-se, empreender algum esforço e tempo para cultivar bons hábitos. Similarmente, quem busca crescimento espiritual — ou, poderíamos dizer, estar em forma espiritualmente — terá de investir em um regime espiritual.

Tornar-se e manter-se espiritualmente saudável demanda tempo. É preciso empenho. É preciso autodisciplina. É preciso fazer renúncias. E é preciso fé, porque dar prioridade à sua vida espiritual significa menos tempo para as outras coisas e é possível que pelo seu ritmo de vida hoje você não saiba do que poderia abrir mão.

Quando enfrento obstáculos ou circunstâncias que parecem me afastar dos compromissos que assumi com minha saúde espiritual, procuro me lembrar de algumas verdades para recuperar a perspectiva. São elas:

  1. Dar meu tempo e meu coração a Deus é um investimento duradouro na relação mais importante que tenho.
  2. O tempo com Deus me torna um melhor marido, pai, avô, amigo e pessoa. Estar com Jesus não só me ajuda, mas beneficia todos que são importantes para mim.
  3. Mesmo quando não passo tempo com Deus como deveria, posso confiar que Ele está feliz com todos os meus esforços, inclusive os pequenos. Entende nossa estrutura, nossas circunstâncias e está disposto a trabalhar conosco.

Um dos grandes desejos de Deus é que mantenhamos uma estreita relação com Ele. É reconfortante saber que Ele está mais do que disposto a nos ajudar, se nos esforçamos para melhorar nossa saúde espiritual.

Agora, vejamos os cinco pilares nessa fórmula para o crescimento espiritual.

Número 1: Conectar-se com Deus pela assimilação de conteúdo espiritual.

Dedicar tempo diariamente para assimilar bons conteúdos espirituais e alimentar o espírito é essencial para uma vida espiritual vibrante. Jesus afirmou que a Palavra de Deus é nossa fonte de alimento espiritual quando citou o versículo do Antigo Testamento: “Não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.”[2]

A Bíblia é a “palavra que sai da boca de Deus.” Assim como necessitamos de consumir alimentos físicos todos os dias para viver e ter boa saúde, precisamos nos alimentar espiritualmente diariamente. A leitura da Palavra de Deus não é algo que é bom para fazer quando temos tempo, mas para o que devemos definir uma hora. Precisamos absorver conteúdo espiritual diariamente, mesmo se for uma leitura rápida. Se você tiver apenas alguns minutos para estar com o Senhor, não deixe passar essa oportunidade, imaginando que não fará diferença. Jesus disse: “As palavras que Eu vos disse são espírito e vida.”[3] Não deixe de absorver o “espírito” e a “vida.”

Qual deve ser sua fonte de conteúdo espiritual? A primeira e mais importante deve ser a Bíblia, a palavra de Deus. A Bíblia estabelece o plano de Deus para a humanidade. —”É o plano de Deus para a vida eterna: a fundação sólida e genuína da verdade sobre a qual estamos edificando. Deus nos dá essa fundação e na Bíblia encontramos Seu plano para a humanidade, desde o seu início, em Gênesis, à promessa de transformação espiritual, passando pela ressurreição, até suas promessas de imortalidade e eterna bem-aventurança celestial, encontradas no Livro do Apocalipse. A Bíblia, o maior de todos os livros, cujo autor é o único que pode garantir a vida e amor e, na próxima vida, felicidade e céu para sempre. A Bíblia é nosso alicerce, nosso guia, nosso padrão e medida padrão pela qual podemos avaliar todas as coisas.”[4]

Outra fonte de alimento espiritual são os escritos (ou produções de mídia) devocionais e edificadores da fé de autoria de mulheres e homens devotos. Eles podem fortalecer sua fé, abrir seu entendimento das Escrituras e ajudá-lo a aplicar na prática a Palavra de Deus para suas necessidades atuais e desafios.

Precisamos ler e estudar a palavra de Deus para desenvolver com Ele um relacionamento e uma ligação profunda. Se você aquietar seu espírito, meditar na palavra de Deus, escutar Sua “voz calma e suave”, Ele irá falar ao seu coração, guiá-lo e orientá-lo pessoalmente no caminho da sua vida. Deus quer um relacionamento profundo com cada um de nós, mais estreito do que têm os grandes amigos e confidentes. Para alcançar e manter essa relação maravilhosa com o amoroso Deus do universo, é preciso passar tempo com Ele, absorvendo Sua Palavra, meditando nela, deixando-a penetrar em nossos corações e pensamentos, fundamentar nossas decisões e guiar nossas ações.

Josué 1:8 revela com clareza o segredo para o sucesso da vida nestas palavras: “Não se aparte da tua boca o livro desta lei; medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo o que nele está escrito. Então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido.”

Essa verdade foi abraçada por muitos dos maiores homens e mulheres na história, incluindo cientistas, filósofos, inventores e estadistas. Há sites na internet que destacam numerosas citações de grandes homens e mulheres que tinham a Bíblia como a luz orientadora de suas vidas.[5]

No agitado mundo de hoje, é um desafio diário conseguir tempo para Deus. Mas, por sermos cristãos, nosso tempo para nos conectarmos com Ele e Sua palavra deve ser nossa maior prioridade. Respeitar esse momento ajudará a fortalecer com Deus o relacionamento que Ele quer ter conosco e a partilhar das bênçãos que vêm de caminhar ao Seu lado. Passar com regularidade tempo de qualidade com Deus é o maior investimento que uma pessoa pode fazer na vida, com grandes e eternos dividendos.

Número 2: Desenvolver uma vida de oração ativa.

A oração é um componente-chave da nossa vida espiritual. É como nos comunicamos com Deus, nosso Criador. Podemos falar com Ele, louvá-lO, adorá-lO, contar-Lhe nossas preocupações, problemas, necessidades, pedir-Lhe ajuda, intervenção, forças e tudo o que precisarmos. Orar é pedir que a vontade de Deus seja feita. Podemos escutar Sua voz, buscar Sua orientação, ânimo, consolo e instrução. A oração foi concebida para ser uma conversa, uma troca, um meio de desenvolver e aprofundar nosso relacionamento com Deus

Uma vida espiritual forte é a que incorpora a oração diária. A Bíblia nos ensina a “orar sem cessar.”[6] Oramos em obediência a esta instrução, mas também colhemos muitos benefícios quando desenvolvemos a disciplina de oração.

  • Recebemos respostas para nossas orações, direção, orientação e provisão, de acordo com a vontade de Deus.
  • Podemos interceder em oração em favor daqueles que amamos e que são importantes para nós. Pela oração, podemos dar a alguém — mesmo à distância — a mais poderosa, relevante ajuda que existe.
  • Recebemos paz quando entregamos nossas preocupações e ansiedades a Deus e confiamos que Ele fará o que é melhor para nós.
  • Uma vida de oração levada com seriedade e regularidade nos dá uma relação mais profunda com Deus.
  • Ficamos mais parecidos com Jesus quando passamos tempo em oração.

Deus nos deu a oração como um presente. Com ela, podemos lançar todas as nossas preocupações terrenas sobre Seus ombros fortes. Apesar de essa vida ser cheia de angústias, medos e ansiedades, Paulo nos diz para não nos preocuparmos com nada, mas pedirmos a Deus o que precisarmos.[7]Felizmente, não precisamos tentar determinar se um problema no nosso coração justifica ou não uma oração. A oração é sempre a escolha certa. Se algo está pesando no seu coração, pesa no de Deus também. Como alguém disse: “Se vale se preocupar, vale orar.”

Você pode pensar: “Sou ocupado demais para dedicar tempo à oração!” Ora a semana de todo mundo tem 168 horas. O que você vai escolher para fazer nessas 168 horas é uma questão de prioridades.

O tempo investido em oração fervorosa certamente trará bons retornos, mas Deus também quer ensinar nossas mentes a comungar com Ele no decorrer do dia, durante nossas atividades. Não temos de parar tudo que estamos fazendo para orar. Quando combinamos o dia a dia com a oração, o resultado é uma vida abençoada.

Evan Roberts diz que “A oração é o segredo do poder”. Martinho Lutero ensinava que “O negócio dos alfaiates é fazer roupas; dos sapateiros, confeccionar sapatos; dos cristãos, orar.”

Número 3: Manter o coração de bem com o Senhor.

O próximo item na nossa fórmula de crescimento e saúde espiritual é ficar bem com o Senhor. Isso não significa que você tem de ser perfeito. Todos pecamos. Todos cometemos erros. Na verdade, é algo que fazemos todos os dias. O Senhor sabe disso e não nos condena por nossa falta de perfeição ou pelas vezes que tropeçamos. Jesus conhece todos os nossos defeitos. Entende nossas falhas e fraquezas humanas, pois também experimentou a vida como ser humano. Ao dar a vida pelos nossos pecados, sabia muito bem que nunca acertaríamos todas, por mais que tentássemos. Podemos entrar naquele lugar maravilhoso de paz e perdão se confessarmos regularmente nossas falhas, erros e pecados ao Senhor. Podemos encontrar paz em Seu perdão, se nos humilharmos, reconhecermos nossas falhas e corrermos para Seus braços estendidos para nós.

Simplificando, o pecado pode ser definido como um delito cometido, é errar o alvo, desobedecer propositadamente, afastar-se da fé, desviar-se do caminho certo. Todos pecamos. Lemos em Eclesiastes 7:20: “Não há homem justo sobre a terra, que faça o bem e nunca peque.”

Pecamos de duas maneiras: quando fazemos o que sabemos que não devemos fazer, conhecido como pecado de cometimento e quando não fazemos o que sabemos que devemos fazer, o pecado da omissão. No primeiro caso, o pecado é um afastamento de Deus e da Sua vontade, a violação de um dos Seus mandamentos, quando nossas ações, atitudes ou caráter divergem da lei moral de Deus expressa na Bíblia, mas também inerente ao nosso senso inato de certo e errado.

O pecado da omissão ocorre quando não fazemos o que é certo, conforme explica Tiago 4:17: “Aquele, pois, que sabe o bem que deve fazer e não o faz, comete pecado.”

Se formos reverentes perante o Senhor, vamos nos sentir compelidos a regularmente confessar nossos pecados ao Senhor e pedir Seu perdão. Não é difícil se cultivarmos o hábito. É como quando você tem um jardim e tem de lidar com as ervas daninhas. É fácil combatê-las se agir tão logo aparecem. O problema fica grande, entretanto quando elas são ignoradas tempo bastante para crescerem e criarem raízes profundas. O mesmo se aplica ao cuidado do jardim do seu coração. Se você regularmente confessar suas falhas ao Senhor, não deixará o pecado se enraizar em sua vida.

A limpeza frequente permite que sua vida espiritual floresça e lhe traz paz. Aproxima você do Senhor e cura qualquer mal que seus pecados tenham causado na relação com Ele. Quando você sabe que está bem com Deus, que não tem pecados não confessados em sua vida, fica mais fácil vir a Ele para tempos de adoração e oração, além de lhe dar fé de que Deus o abençoará e cuidará de você.[8]

Número 4: Ser obediente a Deus (à Sua palavra, à Sua voz e à Sua orientação).

Por sermos seguidores de Jesus, procuramos saber mais sobre Deus e Sua palavra. Estudamos a Bíblia e outros escritos inspiradores, pesquisamos sobre o que dizem, meditamos em seus ensinamentos, memorizamos e aprendemos versículos bíblicos, e falamos sobre a palavra de Deus com os outros crentes.

Tudo isso é bom, mas nosso dever para com Deus não acaba aí. Outro elemento fundamental para o crescimento espiritual é fazer o que Sua palavra diz para fazer. Somos chamados a obedecer ao que Deus pede de todos os cristãos, bem como Sua orientação pessoal e instrução para nós, enquanto indivíduos.

Não queremos ser só “cristãos inteligentes”, pessoas que sabem muito sobre as coisas espirituais, a doutrina e a teologia. Não queremos apenas ser capazes de falar sobre Jesus e Suas expectativas para Seus seguidores. Devemos aplicar os princípios espirituais. Devemos agir para atender às expectativas que Jesus tem para nós. Para nos tornarmos exemplos de vida, devemos ser praticantes da Palavra e não seus meros ouvintes.[9]

Deus não orienta todos a fazer exatamente as mesmas coisas, mas quer que cada um aja, obedeça, seja um exemplo, um seguidor dos Seus ensinamentos, alguém que põe a fé para trabalhar. Devemos conduzir nossas vidas pelo túnel da vontade de Deus, de forma que devemos buscar Sua orientação para fazermos nossas escolhas, buscar Sua vontade em nossas vidas e vivermos com paixão e excelência, fazendo com toda a sinceridade tudo ao nosso alcance para seguir Deus.

Obediência é nosso dever, mas traz consigo uma promessa de bênçãos. Jesus disse em João 13:17: “Agora que vocês sabem estas coisas, felizes serão se as praticarem.”[10]

Este é um trecho do livro A Vida com Propósito, escrito por Rick Warren.

Deus não lhe deve explicação ou motivo para tudo que ele lhe pede para fazer. A compreensão pode esperar, mas a obediência não. Obediência imediata lhe ensinará mais sobre Deus do que uma vida inteira de discussões bíblicas. Na verdade, você jamais compreende­rá alguns mandamentos até que lhes obedeça. A obediência li­bera a compreensão.

Frequentemente, tentamos oferecer a Deus uma obediência parcial. Que­remos escolher as ordens às quais vamos obe­decer. Fazemos uma lista das ordens de que gostamos e lhes obedecemos, enquanto deixamos de lado as que acreditamos ser absurdas, difíceis, custosas ou impopulares. “Vou à igreja, mas não vou dar o dízimo. Vou ler a Bíblia, mas não perdoarei à pessoa que me magoou.” To­davia, obedecer parcialmente é desobedecer.

A obediência é incondicional, com entusias­mo. A Bíblia diz: “Obedeçam a Ele de coração alegre.” ... Tiago, falando aos cristãos, disse: “Nós agrada­mos a Deus pelo que fazemos, e não somente pelo que cremos.” A Palavra de Deus é clara quando diz que não há como você merecer a salvação. Ela vem pela graça e não por esforço. Mas, como filho de Deus, você pode agradar seu Pai celestial por meio da obediência. Qualquer ato de obediência é também um ato de adoração. Por que a obediência agrada tanto a Deus? Porque prova que você realmente o ama. Jesus disse: “Se vocês me amam, obedeçam aos meus mandamentos.” ... Jesus deixou claro que a obediência é uma condição para obter intimidade com Deus. Ele disse: Vocês se­rão meus amigos, se fizerem o que eu lhes ordeno.”

Obedecemos a Deus, não por obrigação, medo ou imposição, mas porque o amamos e confiamos que ele sabe o que é melhor para nós. Queremos seguir a Cristo em virtude da gratidão que sentimos por tudo que ele nos fez, e quanto mais de perto o seguimos, mais intensa a nossa amizade se torna. Os incrédulos muitas vezes pensam que os cristãos obedecem por obrigação, culpa ou medo de serem punidos, mas justamente o oposto. Por termos sido perdoados e libertos, obedecemos por amor — e nossa obediência nos traz grande alegria! Jesus disse: “Como o Pai me amou, assim eu os amei; permaneçam no meu amor. Se vocês obedecerem aos meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como tenho obedecido aos mandamentos de meu Pai e em seu amor permaneço. Tenho lhes dito estas palavras para que a minha alegria esteja em vocês e a alegria de vocês seja completa!”[11]

Agora veremos o último ponto em nossa fórmula para o crescimento espiritual.

Número 5: Participe de uma comunidade de crentes.

Quero começar este tópico com vários versículos bíblicos.

“Se dois de vós concordarem na terra acerca de qualquer coisa que pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai, que está nos céus. Pois onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou eu no meio deles.”[12]

“Então, enquanto temos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé.”[13]

“Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.”[14]

“Não deixando de congregar-nos, como é costume de alguns, mas admoestemo-nos uns aos outros, e tanto mais quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.”[15]

Como explicado em “As Disciplinas Espirituais: Convivência”, existem diferentes aspectos da convivência cristã. Refiro-me aqui à comunhão no sentido de reunir para adoração, oração e companheirismo cristão. Quando nós, crentes, estamos juntos, ganhamos muito. Quando passamos tempo com outros cristãos adorando o Senhor, lendo Sua palavra, cantando, orando juntos e confiando um no outro, ficamos mais forte. Somos revigorados, nossa visão é esclarecida e estamos mais bem preparados para o que o Senhor vai trazer em nossas vidas conforme trabalharmos pelo Seu reino.

No livro, Redescobrindo a Igreja, Bill Hybels conta a história de uma mensagem por um Dr. Gilbert, que disse: “A comunhão bíblica tem o poder de revolucionar a vida. As máscaras caem, as conversas se aprofundam, os corações ficam vulneráveis, as vidas são compartilhadas, a prestação de contas nos chama e a ternura flui. As pessoas realmente se tornam como irmãos e irmãs. Eles se ajudam mutuamente com seus fardos.”[16]

Nem sempre é fácil conseguir tempo para a comunhão de qualidade, para formar ou encontrar uma comunidade cristã onde nos sintamos em casa. Mas peço-lhe para fazer um esforço para se reunir com uma comunidade de crentes tão frequentemente quanto possível. Isto é importante não só para sua edificação pessoal e prazer, mas também ajuda a capacitá-lo a fazer a diferença no mundo.

É importante que nós, os crentes, participemos da comunidade, que nos unamos em adoração a Deus. Além disso, as nossas comunidades devem servir de lugar seguro para aqueles que estão buscando conhecer mais sobre Deus e a Bíblia, onde possam se sentir bem-vindos, participar, fazer perguntas e ser fortalecidos na fé

Rick Warren escreveu:

As expressões “uns com os outros” e “entre si” são usadas mais de cinquenta vezes no Novo Testamento. Somos ordenados a amar uns aos outros, a orar uns pelos outros, a incentivar uns aos outros, a admoestar uns aos outros, a saudar uns aos outros, a servir uns aos outros, a ensinar uns aos outros, a aceitar uns aos outros, a honrar uns aos outros, a carregar os fardos uns dos outros, a perdo­ar uns aos outros, a nos submeter uns aos outros, a ser dedicados uns aos outros, além de muitas outras obrigações mútuas. Isso é ser um membro, do ponto de vista bíblico! Essas são suas “responsabili­dades familiares”, que Deus espera que você cumpra na comunidade local. Com quem você vem agindo dessa forma?

Deus quer que experimentemos a vida juntos. É o que a Bíblia chama de convivência.[17]

Quero incentivá-los a procurar outros cristãos para formarem uma comunidade para a glória de Deus. Tudo o que você ganha vai valer mais do que o tempo, dinheiro e sacrifício que isso pedirá. Quando eu e a Maria convivemos com membros AFI e outros cristãos, nos sentimos muito felizes. Preciso investir tempo, esforço e energia para participar de uma comunhão espiritual com os outros, mas revigora o meu espírito e eu fico grato por tê-lo feito.[18]

Por isso, para crescer espiritualmente observe estes cinco pontos fundamentais:

  1. Conectar-se com Deus pela assimilação de conteúdo espiritual.
  2. Desenvolver uma vida de oração ativa.
  3. Manter o coração de bem o Senhor.
  4. Ser obediente a Deus.
  5. Participe de uma comunidade de crentes.

Ao avaliar sua vida espiritual com base nesses cinco pontos, lembre-se das promessas maravilhosas que Deus vinculou à nossa obediência.

Estas são apenas alguns trechos das Escrituras que falam de bênçãos de Deus para aqueles que O amam, Lhe obedecem e observam Seus mandamentos.[19]

Ele diz que Ele:

…afastará de nós as doenças;

…abrirá as comportas do céu e derramar tantas bênçãos que não teremos lugar para conter todas.

Ele diz que você:

…será abençoado no que fizer;

…prosperará e será bem-sucedido;

…viverá por muito tempo sem que lhe falte nada;

…trará grande bem-estar aos seus filhos;

E que … tudo que pedirmos receberemos de Suas mãos.

Mesmo não merecendo, recebemos muito de Deus. Isso deve nos provocar a continuamente louvar, adorar e glorificar Deus pela Sua bondade, Sua misericórdia e Seu amor infinito!

Nós, cristãos, somos geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz.[20]


[1] 2 Crônicas 26:5. A menos que de outra forma indicado, todos os versículos foram tirados da NVI.

[2] Mateus 4:4; Deuteronômio 8:3.

[3] João 6:63.

[4] Adaptação de David Brandt Berg, “A Palavra: Nova e Antiga” Setembro de 1974, CdM 329:7–8.

[5] Veja exemplos aqui e aqui.

[6] 1 Tessalonicenses 5:17.

[7] Filipenses 4:6.

[8] Leitura adicional: A Essência de Tudo: Pecado; Disciplinas Espirituais sobre confissão.

[9] Tiago 1:22.

[10] NVI.

[11]  Rick Warren, Uma Vida com Propósitos: Você não está aqui por acaso(Editora Vida: 2003), 61–62, 85–86.

[12] Mateus 18:19–20.

[13] Gálatas 6:10.

[14] Gálatas 6:2.

[15] Hebreus 10:25.

[16] De um sermão por Dave McFadden, “A Golden Lampstand” 8/6/2010. Dr. Gilbert Bilezikian é um escritor cristão francês nacionalizado americano, professor e pastor batista. É cofundador, com Bill Hybels, da Willow Creek Community Church.

[17] Warren, Uma Vida com Propósitos, 134, 138.

[18] Leitura adicional: Série Disciplinas Espirituais.

[19] Deuteronômio 30:16.

[20] 1 Pedro 2:9.


 Fo