"O pastor" do pastor

Os dias que antecederam a nossa jornada de plantação de igrejas são uma névoa dourada na minha memória. Tão logo experimentamos a primeira atração missional seis anos atrás, meu marido e eu consumimos quantidades absurdas de Dr. Pepper e procuramos todos os livros, artigos e podcasts pertinentes da cristandade. Apesar do nevoeiro induzido por cafeína, um sentimento saltou das massas de conteúdo e envolveu-se firmemente ao redor do meu coração. Não se moveu desde então. Em uma sessão sobre casamento e missões, o treinador (choach) perguntou a um grupo de plantadores de igrejas esperançosos: "Homens, quem é seu pastor?" Ele esperou. E demorou um bom tempo para ouvir respostas..

-"Sua esposa", disse ele.

Espere o que? Eu devo ter pulado isso na descrição do meu trabalho.

“Sua esposa é aquela que estará orando por você, amando você, encorajando você, responsabilizando-a e servindo como sua caixa de ressonância. Ela é essencialmente seu pastor.", afirmou ele.

Bem, hum. Quanto mais eu pensava nisso, mais verdadeiro ele tocava, e ainda está lá, tocando, moldando a maneira como faço a vida no ministério e a maneira como trabalho com outras esposas plantadoras de igrejas na Nova Inglaterra (um estado americano).

Possuindo o chamado para pastorear, o pastor leva liberdade e gravidade aos meus ritmos diários. Agora estou livre para investir internamente sem culpa e para me ver como um bem valioso sem orgulho. Ser espiritual, emocional, intelectual e fisicamente saudável afeta diretamente o quanto sou capaz de ministrar ao meu marido, por isso cooperar com o Espírito ao cultivar o meu mundo interior não é uma questão de vaidade, mas de mordomia responsável. Ao crescer no conhecimento e aplicação do evangelho, estou me tornando uma melhor fonte de provisão para o homem no púlpito.

"Eu me vejo livre para dizer não a outros ministérios da igreja para os quais não sou talentosa ou chamada porque eu tenho um ministério muito válido para o qual sou talentosa e chamada e ele mora em minha casa. Ninguém pode orar, amar e encorajar meu marido na medida em que eu puder. Ninguém tem a intenção.* Também há liberdade em quão variada essa atividade de pastoreio pode parecer - é uma tarefa única para cada um de nós, como muitas maneiras de amar um marido no ministério, pois há maridos no ministério e podemos nos alegrar uns com os outros. enquanto vivemos a beleza do evangelho de mil maneiras diferentes.

Então, sim, essa nova atribuição é libertadora, mas, ao mesmo tempo, transmite uma quantidade significativa de peso. De repente, tudo que eu faço contribui ou dificulta sua capacidade de ministrar. O mundo é transformado em uma sala de aula, seminário, a cada momento a chance de expandir seu conjunto de habilidades pastorais. Todas as dimensões da vida transbordam de propósito. Ler um bom livro não é mais simplesmente uma atividade de lazer; Agora é um trabalho sagrado de desenvolvimento profissional. Cada gaveta que eu limpo ou dólar que eu trago para casa é uma oferta sacerdotal. Aquelas manchas no meu tapete gastas com marcas nos joelhos podem ser o ministério mais importante da minha igreja, e a maioria das pessoas nunca vai notar.

Pastorear o pastor é uma tarefa preciosa, intensa e crucial. Se nós não ouvirmos bem nossos maridos e oferecermos um feedback sólido, se não os amarmos profundamente, se não cingirmos nossos lombos e fizermos uma poderosa batalha por eles através da oração, se não nos derramarmos como se nou houvesse mais ninguém envolvido neles, negligenciamos nosso ministério principal. A graça espera até mesmo aqui, irmãs, mas que tragédia ter perdido a boa obra de Deus para nós!

Há tal glória neste convite. Me ouça, esposas corajosas. Nós não fomos chamados para uma igreja; Fomos chamados para nossos maridos, e essa é uma tarefa sagrada que só podemos manter. Vamos nos envolver completamente nele e cumpri-lo com a mais feroz alegria que se possa imaginar.

NOTA : Depois de seis anos em Connecticut, eu não iria tão longe a ponto de dizer que uma mulher deveria ser o único pastor de seu marido . Os homens precisam de outros homens encorajando-os e responsabilizando-os, pastoreando seus corações como só os irmãos podem. Mas nós, esposas de ministros, somos um aspecto essencial da equipe pastoral geral de nossos maridos, aqueles com o vínculo mais próximo, o ponto de vista mais claro e o interesse mais investido.  Estou falando apenas de pessoas aqui. É claro que o Senhor é nosso Pastor Chefe e cumpre perfeitamente essas necessidades para todas as Suas ovelhas, incluindo pastores. Mas em um nível humano, Deus me designou especificamente para ser um meio de graça para o meu marido como só eu posso ser.


Kassie Prather é uma ex-nova-Inglaterra do sul que se viu na junção entre o perfeccionismo e a graça. Ela tem um carinho especial por bugigangas, confetes, pão fresco e autores mortos. Ela é casada com o plantador de igrejas Riley. Ela trabalha em casa (e às vezes no café). Ela bloga no  The Dwelling Place .


Fonte: Dr Pepper é uma marca de refrigerante gaseificado, com corante de caramelo, comercializado nos EUA pela Cadbury Schweppes Americas Beverages, uma empresa da Cadbury Schweppes.

Este artigo foi originalmente publicado em  www.lifeway.com em 18/07/2018


Imprimir   Email
Encontrou um erro de digitação? Por favor, selecione-o e pressione Ctrl + Enter.