Mulheres

Escrito por Anna Maria Jonsson

Às vezes é importante olhar para trás e estudar os nossos pais na fé, não somente o que a história superficial conta se não se aprofundar um pouco na sua maneira de pensar e agir, levando em conta o tempo em que viviam e o contexto daquela época. Porque de tempos em tempos é importante fazer isto? Porque ás vezes com o desenvolvimento rápido das coisas, das ideologias, o aparecimento de novos nomes podemos esquecer nossas raízes, de onde viemos e daquilo que se julgava importante desde o início. Vou falar um pouco do John Ongman. Não sei se todos conhecem, mas ele foi o pai da fé tanto daqui da Interact como a CIBI. O John Ongman, nascido em 1845 e fundador da Örebromissionen, hoje denominada INTERACT. Com 18 anos recebeu a Cristo, com 21 anos pregava e atuava em muitos lugares, aos 23 anos foi para os EUA onde atuou como pastor.

Aos 36 anos voltou para Suécia e assumiu a Igreja Batista de Örebro em 1890 e logo fundou a missão de Örebro em 1892 e as escolas Bíblicas em 1908. Quem fez seminário da CIBI no Brasil deve ter lido toda esta história. Ele era um homem de personalidade sensível, mas um idealista com grande motivação interna e persistência na tarefa. Ele foi um grande líder para muitas pessoas e continua sendo um exemplo para nós.

Um grande referencial que o Ongman tinha é que ele no final de 1800 estava convicto que homens e mulheres são necessários para a expansão do reino de Deus. No começo não era uma escolha teológica ou ideológica e sim a urgência de pregar o evangelho em novos lugares na Suécia. Ongman entendia que a tarefa dada a nós por Deus era tão grande e tão complexa que era necessário à participação de todos. Com o passar do tempo ele começou a estudar a palavra de Deus e muito inspirado por Caroline Booth, fundadora do Exército da Salvação e autora do livreto chamado "O direito da mulher de pregar o evangelho". Se aprofundando nos textos bíblicos Ongman afirma que não existe nenhum obstáculo para que as mulheres possam pregar o evangelho.

Imagine isto numa Suécia no final do século 19, um país onde as mulheres não tinham direito a voz e a voto que só vieram a ter em 1921. Tanto na escola Bíblica de Örebro e depois igrejas como no campo de missões transculturais existiam tanto mulheres como homens. A nível interdenominacional o John Ongman foi revolucionário para o seu tempo e muitos queriam discutir com ele sobre esta questão, mas ele estava totalmente convicto. Outros pastores e líderes zombavam dele e o chamavam de "Ongman e suas meninas". Mas nenhum destes questionamentos mudava a posição dele em relação a esta questão.

Concluindo, é interessante ver que a prática de liderança feminina não é nada moderna ou nova, temos a isto desde o princípio com a finalidade da expansão do reino de Deus. Conheça a biografia completa de John Ongman


Artigo escrito por Anna Maria Jonsson, Coordenadora da Interact para a América Latina