Lista de Mensagens - alcancevitoria | 2016

Ministração da Palavra feita pelo pastor Elton Melo no culto de Ceia do Senhor, na Igreja Batista Independente de Curitiba, Paraná, em 12 de março de 2017, com o tema “Propósitos divinos na Ceia do Senhor”, tendo por base o texto de Apocalipse 19.6-9, onde o pastor Elton Melo ministra sobre os quatro propósitos divinos que ocorrem quando a Ceia do Senhor é ministrada, mas também para que a Igreja demonstre a este mundo os princípios do Reino.
Duração:45 mins 59 secs

Abra a sua Bíblia em Apocalipse 19.6-9, onde lemos: "E ouvi como que a voz de uma grande multidão, e como que a voz de muitas águas, e como que a voz de grandes trovões, que dizia: Aleluia! pois já o Senhor Deus Todo-Poderoso reina. Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou. E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos. E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus. A Ceia do Senhor é um momento especial do nosso culto ao Senhor." A Ceia do Senhor tem dimensões atemporais, isto é, aponta para o passado, presente e futuro.

  1. No passado, salvação pelo sacrifício de Cristo no Calvário;
  2. No presente, vida ativa de comunhão uns com os outros e com Deus
  3. No Futuro, a celebração das bodas do Cordeiro,

Vamos então aos quatro propósitos essenciais pela qual participamos da Ceia do Senhor, que são: Proclamação, Presença, Comunhão e Adoração:

1. Primeiro propósito: PROCLAMAÇÃO - I Cor 11.26 (Kerigma)

  1. “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha. 1 Coríntios 11.26”
  2. A Ceia lembra-nos a nossa salvação conquistada por Jesus no Calvário e por meio deste ato proclamamos que Jesus morreu pelo pecador e ressuscitou;
  3. Mas a finalidade deste anúncio é não é anunciar o sofrimento de Cristo, mas o convite para uma festa, a festa das bodas do cordeiro.
  4. Só pode haver casamento se houve proclamação.
  5. É exatamente isso que significa o termo jurídico “proclamas”, isto é, o tempo decorrido entre a leitura do anúncio de matrimônio e a data de sua realização. E a finalidade dos proclamas por 15 dias, visando confirmar se existe algum tipo de impedimento para a celebração, ou seja, se existe alguma pessoa contra. Ressalta-se que o prazo para oposição de impedimentos é até a data da celebração do casamento.
  6. O tempo atual é de proclamação, isto é, de anunciar que vai acontecer algo do qual somos participantes diretos e dessa forma, não queremos que ninguém deixe de participar;
  7. Ao mesmo tempo, a proclamação é também um tempo de juízo, pois afinal deste período ninguém poderá dizer que não sabia do ocorrido.
  8. Quando proclamamos estamos reforçando o convite e dizendo claramente a este mundo as intenções do noivo. Ninguém poderá se dar por escusado.

2. Segundo propósito: PRESENÇA. (Parousia)

  1. “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a (PAROUSIA) vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. ” 1 Tessalonicenses 5.21-23
  2. O SEGUNDO propósito da Ceia, é apontar para sua volta. No entanto, esta volta não é apenas um evento que irá ocorrer, mas é um evento já está acontecendo;
  3. Por isso o termo grego usado é Parousia, que significa presença.
  4. Jesus virá buscar todos os que amam a sua vinda (2Tm 4.8), porém é preciso cuidado para não confundir o arrebatamento da Igreja com a sua vinda em glória (segunda fase), quando Ele virá com os santos e com os anjos trazendo juízo contra todos os ímpios (Jd vv.14-16; 2Ts 1.7; Ap 19.14).
  5. “Para confirmar os vossos corações, para que sejais irrepreensíveis em santidade diante de nosso Deus e Pai, na (PAROUSIA) vinda de nosso Senhor Jesus Cristo com todos os seus santos. ” 1 Tessalonicenses 3.13
  6. “Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a (PAROUSIA) vinda do Filho do homem. ” Mateus 24.27
  7. Somente até seu ato de chegada? Ou para Sua Presença. (?) a palavra “para” aqui é usada no mesmo como “em” e significa uma preservação que é levantada no final e incluso no tempo da mesma Presença de Jesus Cristo.
  8. h)Como podemos perceber que Jesus está voltando?
    1. Pela presença de falsos cristos e falsos profetas - “E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane, porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos” (Mt 24.4,5).
    2. Você sabe o que significa apostasia? Apostasia significa “desvio”, “afastamento”. Quer dizer “abandono premeditado e consciente da fé cristã”.
      1. O aumento da apostasia é um sinal que evidencia a segunda vinda de Jesus (2Ts 2.3).
      2. O apóstolo Paulo alertou a Igreja quanto ao perigo da apostasia: “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios” (1Tm 4.1).
      3. No Antigo Testamento vemos que por muitas vezes os israelitas apostataram-se abandonando ao Senhor e a sua Lei, mas eles receberam a recompensa por se desviarem do Senhor. Jesus voltará e julgará os apóstatas, dando-lhes a recompensa que merecem.
      4. Para Deus a apostasia é sempre vista como um “adultério espiritual”.
    3. “Doutrinas de demônios” (1Tm 4.1). Os falsos mestres e os seus ensinos eram e ainda continuam sendo uma ameaça para Igreja e para a fé cristã. Atualmente muitos estão se deixando seduzir por doutrinas de demônios. Estes deturpam as Escrituras Sagradas e acabam por aceitar o erro, como por exemplo, a “Confissão Positiva”, a “Teologia da Prosperidade”, o “Culto aos Anjos” e muitas crendices e misticismos que corrompem a sã doutrina. Sabemos que Satanás é enganador. Ele procura, de todas as formas, iludir os crentes a fim de que abandonem a fé verdadeira, por isso, precisamos estar vigilantes.
      1. Muitos que se dizem crentes já estão aceitando e até legislando em favor do aborto, da homossexualidade, da disfunção familiar, etc. Deus abomina o pecado e sem santificação ninguém poderá ver o Senhor (Hb 12.14). Atualmente temos visto o “evangelho do entretenimento”, que agrada a muitos, levando-os a uma vida sem compromisso com Jesus e sem santificação (1Pe 1.15). Por não conhecerem a Palavra de Deus e não viverem segundo ela, muitos acabam sendo levados pela apostasia moral.
    4. Perseguição aos crentes. Ao falar a respeito dos tempos do fim, Jesus previu grandes perseguições aos seus discípulos (Mt 24.9).
    5. Sinais do céu. Jesus alertou que antes de sua vinda haveria vários sinais, como por exemplo, “grandes terremotos e fomes, pestilências, coisas espantosas e grandes sinais do céu” (Lc 21.11). Jesus fala de sinais e não de datas. Jesus fala de sinais que antecedem a sua volta, mas em momento algum Ele fala a respeito de datas.
    6. Guerras e conflitos. Jesus falou a respeito de guerras e conflitos entre as nações como um dos sinais de sua volta. O Mestre alertou que se levantará nação contra nação, e reino contra reino (Mt 24.7). Não é o que temos visto ao longo do tempo?
      1. O mundo já sofreu com duas grandes guerras (a Primeira e a Segunda Guerra Mundial). Milhares de pessoas inocentes foram mortas. As guerras e os conflitos continuam sendo constantes em nosso planeta. Atualmente temos visto também a ameaça do terrorismo, que é também um tipo de guerra.
      2. Os vários atentados terroristas ao redor do mundo têm causado a morte de vários inocentes.
      3. Há pouco tempo vimos a Europa, em especial a França, sendo palco de ataques de extremistas islâmicos. Estes espalham o medo e a violência ao redor do mundo.
      4. Recentemente, alguns que pertencem a ala dos extremistas efetuaram atentados terroristas, na França, na Tunísia e no Kuwait, matando dezenas de pessoas. O grupo extremista que atua no norte da Nigéria, o Boko Haran, tem como um dos seus alvos a destruição da fé cristã.
    7. Terremotos. Segundo alguns geólogos, o número de terremotos tem aumentado assustadoramente nos últimos 20 anos. De acordo com a United States Geological Survey, dos EUA, “entre 2000 e 2010, aconteceram mais de 200.000 terremotos”. Destes, somente 100.000 são percebidos. A maior parte dos tremores ocorre em escalas imperceptíveis ao ser humano.
  9. Os sinais que prenunciam a volta de Jesus estão se cumprindo a cada dia. Mas a Igreja de Jesus Cristo deve continuar em oração e vigilância como “coluna e firmeza da verdade” (1Tm 3.15), aguardando em santificação a volta de Jesus.

3. Terceiro propósito: COMUNHÃO:

  1. O terceiro propósito é que os filhos de Deus desfrutem de comunhão. Jo 13.8 “Disse-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhe Jesus: Se eu te não lavar, não tens parte comigo.
  2. Comunhão é mais que estar juntos num mesmo lugar, significa um sincero e perfeito relacionamento uns com os outros.
  3. A Ceia não tem nenhuma eficácia na vida de alguém que não está em comunhão com o corpo de Cristo (Igreja).
  4. Jesus dá um enorme valor à comunhão: ele diz: “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” - Mateus 18.20
  5. “Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo”? - Amós 3.3
  6. Mateus 18.18-19 é um texto bem específico e claro ao falar sobre unidade e comunhão fraternal entre os santos. A união que Deus se agrada é composta por aqueles que o amam acima de todas as coisas e pessoas, por quem ama o semelhante como a si mesmo.
  7. No Salmo 133, podemos ler que havendo união dos servos de Deus, ali o Senhor determina que haja a vida e bênção eternas. Deus tem prazer em abençoar quem é seu servo. A unidade dos santos em uma oração de concordância é atendida como de forma automática quando as pessoas que oram são tementes e fazem a vontade do Senhor voluntariamente (João 9.31).

4. Quarto propósito: ADORAÇÃO:

  1. “Mas a hora está chegando, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai, em espírito e em verdade; pois são esses que o Pai procura para seus adoradores. Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” João 4.23,24
  2. …Intimidade, devoção, comunhão, sociedade, pacto, vida plena e ativa em Cristo. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Jo 6.56.
  3. É impossível participar plenamente da Ceia sem adorar ao Senhor em espírito e em verdade;
  4. Quero compartilhar três razões para adorarmos a Deus:
    1. A primeira razão para adorarmos a Deus é que Ele nos ordena isso (I Cr 16.29; Mt 4.10). Nos Dez Mandamentos, vemos que os quatro primeiros, que, inclusive, são os mais longos, claramente incumbem o homem de adorar o Único e Verdadeiro Deus e somente Ele (Êx 20.3-10). Permitir que qualquer coisa ou pessoa assuma a posição de senhor sobre nossas vidas se constitui numa terrível desobediência à vontade de Deus, a qual traz a ira de Deus (Êx 20.5; Dt 27.15). Todas as pessoas são destinadas a prestar reverência a Deus, mesmo que a contragosto (Fp 2.10).
    2. A segunda razão igualmente importante para adorarmos a Deus é que Ele merece nossa adoração. Somente Ele possui os atributos que O fazem digno de nossa adoração e culto. Entre esses atributos, encontramos: Bondade (Sl 100.4-5), Misericórdia (Êx 4.31),Santidade (Sl 99.5,9) e o Poder Criador (Ap 4.11). Quando os homens dos tempos bíblicos viam claramente a Glória de Deus revelada, a única coisa que podiam fazer era prostrar-se em adoração. Exemplos dessas reações podem ser vistas nas ações de Moisés (Êx 34.5-8), Paulo (At 9.3-6) e João (Ap 1.9-17).
    3. Uma terceira razão para a adoração é que o homem precisa dela. As pessoas não conseguem encontrar satisfação pessoal longe da alegre submissão de si mesmos em adoração a Deus. Ele é o Criador, e elas são as criaturas (Ap 4.11). As pessoas que adotam como mestre qualquer outra coisa que não seja Deus estão construindo suas vidas sobre a areia. Elas nunca serão mais fortes do que o objeto que adoram (Sl 115.4-8). Aquele que adora a Deus, porém, não somente habitará o céu (Ap 7.9-12), mas também encontrará alegre satisfação para o presente (Rm 12.2; Cl 3.24).

CONCLUSÃO

A Ceia, sempre deve é a maior festa da Igreja aqui na terra e lá no Céu. O que acontece aqui é apenas uma prefiguração, um prenúncio do que acontecerá nas Bodas do Cordeiro; juntos, todo o Reino dos Céus, Cristo e sua Igreja. Vamos louvar agora ao Senhor com o cântico Incrível Graça:


Se desejar você pode marcar um horário para conversar com pastor Elton Melo sobre esta mensagem. Para entrar em contato com o autor, clique aqui.

Powered by: truthengaged