Lista de Mensagens Ministradas

Dom, Mar 05, 2017

Para onde iremos nós?

Ministração da Palavra feita pelo pastor Elton Melo no culto de celebração da Igreja Batista Independente de Curitiba, Paraná, com o tema “Para onde iremos nós?”, tendo por base o texto do Evangelho de João 6.53-67. Nesta mensagem o pastor Elton Melo reforça a necessidade da comunhão na Igreja, pois muitos querem ter comunhão com Cristo, mas não com os membros do corpo de Cristo. Também enfatiza a necessidade de renovo na nossa vida espiritual, pois embora as lutas e dificuldades da vida sejam relevantes, Jesus ainda é o caminho, a verdade e a vida.
Duração:55 mins 7 secs

Na época de Cristo, muitos discípulos e pessoas que caminhavam juntos, abandonaram a Jesus. No contexto do texto base desta mensagem, vemos que Jesus dialoga com os seus ouvintes sobre a necessidade de comer da sua carne e beber do seu sangue e isso é proposto por Cristo como condição para permanecer nele (João 6.53-57).

Nosso corpo físico só pode ter vida saudável pelo alimento que comemos e bebemos, da mesma forma, o nosso espírito precisa ser alimentado com os nutrientes da Palavra de Cristo. E Jesus afirma que somente vivemos por uma causa: ELE; ora, se eu vivo por uma causa, eu vivo para essa causa; tudo que tem vida tem um propósito e não há sentido numa vida sem um propósito. Hoje muitos abandonam a Igreja, como se pudesse existir Igreja de Cristo, sem o Cristo. Muitos gostam do noivo, mas detestam a noiva.

Basta alguns minutos de conversa com pessoas que conhecem a Palavra, algumas delas até por um bom tempo foram obreiras e outros tiveram um momento especial de encontro com o Senhor, e percebemos que há muitas pessoas com algum trauma de igreja, de reuniões, assembleias, etc.

Estamos assistindo o fenômeno dos desigrejados, que é aquele tipo de crente que deseja ardentemente ter comunhão com Cristo, mas não tem o menor prazer ou vontade de ter comunhão com aqueles que amam ao mesmo Cristo. Quando muito, essa comunhão se resume a um grupinho dos amigos mais chegados, no português mais claro, da panelinha.

Podemos citar alguns culpados para esta triste realidade, tais como: pós modernidade, modelo de igreja, estruturas eclesiásticas, doutrinas teológicas, etc, etc,, mas no fundo mesmo, o problema não está na estrutura e sim no homem.

1 – Porque alguns gostam de Cristo mas não amam a comunhão na Igreja?

  1. Falhas e imperfeições nos relacionamentos; não existe perfeição no crente, ainda. Embora ele tente de todas as formas, agir corretamente, de vez em quando reage da forma errada, e isso cria algum conflito de ideias, e esses conflitos acabam se tornando pessoais;
  2. Falhas de caráter ainda existente na vida de alguém que se diz cristão: compra, não paga, empresta e não devolve, pisa no calo e não pede perdão, ... e por aí, vai
  3. Presunção - Gente presunçosa – na igreja existe pessoas que acham que Deus a ama mais que a outras pessoas – saiba que Deus não tem queridinhos;
  4. Egocentrismo - Gente que não sabe se comportar na comunidade, gente que pensa que o mundo, a salvação é exclusiva dela e que os outros estão lá apenas para o servirem.
  5. Indiferença - Nossa incapacidade de lidar com o diferente, de amar indistintamente – nós todos fomos adotados, estávamos perdidos, dormíamos no relento da vida, mas agora que temos um pai, um lugar para reclinar a cabeça, nos achamos no direito de escolher quem entra no nosso “orfanato”.
  6. Egoísmo – essa é a tradução mais simples do fato de pessoas quererem apenas ficar no seu quadrado e não abençoar os que estão ao seu redor.

Isso tudo é CARNALIDADE. Pois a vida cristã efetiva não pode ser vivida no isolamento e somente na comunhão dos santos, no organismo do corpo de Cristo é que podemos de fato ser um rebanho. Não existe rebanho de uma só ovelha. Mas apesar de todas as críticas e rejeições, há muitas bênçãos quando o povo de Deus está reunido.

2- Bênçãos decorrentes da nossa comunhão na Igreja:

O que você recebe de Deus quando participa do culto?

  1. fé aumentada pela Palavra proclamada – a fé vem pelo ouvir – Rm 10.17;
  2. Exortados (amparados) uns pelos outros – Hb 10.24,25
  3. Percebemos que somos parte de um corpo, temos valor para alguém.
  4. Posso apresentar diante de Deus meu sacrifício de Louvor – não existe sacrifício individual
  5. Na união dos crentes, Deus ordena a sua bênção (Sl 133), pois a Palavra é profética (Sl 84.4);
  6. Refrigério em tempos de dificuldades – Is 37.1
  7. Instrução para a vida – não andamos perdidos nem às cegas – Mq 4.2.

Estar na casa do Senhor, render-lhe louvores, expressar nosso amor a Ele, receber instruções e palavras abençoadoras, é essencial. Você nunca vai se decepcionar com Deus. Todas as promessas do Senhor para a sua vida, a seu tempo cumprirão. Nós éramos escravos do pecado, agora somos livres, isso significa que podemos servir a Jesus, ou podemos abandoná-lo.

3- Nós somos livres, podemos deixar o Senhor, mas...:

  1. Onde encontraremos alguém ou algo melhor? Gn 16.8 - Agar, perdida no deserto, encontrou em Deus uma saída. As filosofias deste mundo são alternativas que conduzirão para lugares incertos, mas Jesus Cristo continua sendo o único caminho, a verdade e a vida!
  2. Para onde você irá quando o pecado pesar sobre você? Is 43.25-26 - o Senhor nos diz que ele mesmo quem apaga as nossas transgressões e faz isso motivado pelo amor, e faz questão de não se lembrar dos nossos pecados; o prazer de Deus está em nos justificar através da sua graça e misericórdia e não em nos condenar;
  3. Para onde você irá quando o Espírito Santo revelar as coisas escondidas? João 4.17,29 - Jesus conhecia a vida da mulher samaritana - ele conhece cada detalhe da nossa vida;
  4. Para onde você irá quando se sentir desesperado consigo mesmo? Romanos 7.15,19,24 - O nosso maior conflito não é com o mundo, nem com o nosso principal adversário, mas conosco mesmo, o meu EU que não consegue por sí só reagir como Cristo reagia diante dos grandes problemas da vida.
  5. Para onde você irá quando perder o que você mais ama? 2Corintios 1.3 - somos consolados por Deus, para consolar a outros, temos a glória de Cristo, mas também os mesmos sofrimentos e tribulações.
  6. Para onde você irá quando precisar de graça na hora de sua morte? Lucas 23.42 - o ladrão na cruz foi sábio na última oportunidade; ele disse: “Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino. Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso. ” (Lucas 23.42,43).

O poeta e dramaturgo inglês, Robert Browning compôs os seguintes versos:

“Foi um ladrão que disse a última palavra gentil para Cristo."

Pela manhã o ladrão estava longe de Cristo:

longe de Deus e longe da justiça,
o cativo indefeso do pecado,
o filho do desespero e da morte.

Ao meio-dia o ladrão estava em Cristo:
lembrado graciosamente pelo Salvador dos perdidos,
redimido com uma redenção eterna,
dotado com o novo coração,
e livre e perfeitamente justificado.

À noite o ladrão estava com Cristo:
contemplando as glórias do paraíso,
seguro em casa com o seu bom Pastor e adorável Redentor!

Que dia cheio e memorável foi aquele em sua história!
Quanta pressão em poucas horas.
Naquela transição gloriosa e sem precedentes

ambos foram trazidos da cruz cruel,

para a glória do Céu!

Longe de Cristo,
em seguida, em Cristo,
e então com Cristo!

Natural,
em seguida, a graça,
e então a glória!

Irremediavelmente perdido no país distante,
em seguida, seguro sob as asas do Salvador,

e então, ao lado do Senhor no seu trono glorioso!

São estas as três fases em minha biografia espiritual?

Eu conheço a primeira muito bem.
Estou ficando cada vez mais familiarizado com a segunda?
É a minha alegria olhar adiante para a terceira?

"Eu não peço o favor dado a Paulo", disse Copérnico, "eu não busco a graça concedida a Pedro - mas eu imploro a misericórdia concedida ao ladrão na cruz!"


Se desejar você pode marcar um horário para conversar com pastor Elton Melo sobre esta mensagem. Para entrar em contato com o autor, clique aqui.

Leave um(a) reply

Powered by: Preachitsuite