Lista de Mensagens Ministradas

Na vida há momentos de enfrentar tempestades. Muitos simplesmente não aguentam e naufragam. Nem sempre vamos ter um "mar de rosas" ou maré mansa. Mas quem tem Deus ao seu lado, sabe que "todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus" (Rm 8.28). Então, meu irmão, se hoje você está enfrentando uma tempestade, um tempo revolto, não se desespere, mas confie no Senhor.. .

Na vida há momentos de enfrentar tempestades. Muitos simplesmente não aguentam e naufragam. Nem sempre vamos ter um "mar de rosas" ou maré mansa. Mas quem tem Deus ao seu lado, sabe que "todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus" (Rm 8.28). Então, meu irmão, se hoje você está enfrentando uma tempestade, um tempo revolto, não se desespere, mas confie no Senhor.. . A vida não é apenas momentos de vitórias. Nem sempre estamos em maré mansa. Pelo contrário, enfrentamos tantas tempestades que às vezes podemos naufragar.

Saiba, amado, que tudo tem um propósito e mesmo através das nossas "tempestades", Deus usa a nossa vida para abençoar a outros. Você nunca está sozinho no barco.  Abra a sua Bíblia em Atos 27.27-44 e vamos aprender com a Palavra oito princípios para enfrentar e vencer as tempestades da vida.

A) Há momentos para lançar âncoras (vs. 29) - o texto nos diz que eles lançaram quatro âncoras:  nos momentos que antecedem as tempestades, precisamos de firmeza, segurança. Quando a tempestade surge no horizonte, você precisa lançar âncoras para a sua vida não ser levada por ventos, sem rumo e direção. No texto bíblico, compreendemos que para ter firmeza e segurança precisamos lançar as seguintes âncoras:

  1. Oração e Jejum - (vs. 29, 33) - A oração é a base do nosso fortalecimento espiritual. Precisamos estar sempre lastreados na oração - Quem ora apenas depois do problema, vive sempre na esfera do prejuízo, do dano. A oração é uma arma preventiva. Ore sempre, sem cessar, mesmo quando o "mar está calmo". A oração é a provisão para os dias mais difíceis. Mas eles também jejuaram (vs. 9). O mestre nos orientou que há problemas que se resolvem apenas com Jejum. Há momentos de oração, e momento em que além da oração é preciso jejuar. O jejum é o fortalecimento espiritual para enfrentar as tempestades.
  2. Coragem para permanecer - (vs. 30-32). Na hora da tempestade, muitos querem fugir, cada um parecer achar uma saída, uma solução...,no entanto, pense comigo, se já é difícil enfrentar uma tempestade num grande barco, imagine num pequeno? Será que você não está por demais assustado com a sua prova? As ondas parecem que vão te "engolir"? Se a família passa por lutas, com certeza é muito mais proveitoso continuar junto, buscando saída.  Paulo, um homem cheio da visão espiritual, orienta que se cortassem os cabos dos botes para que ninguém tentasse uma saída heroica, mas fracassada. É preciso ter coragem para cortar os cabos dos "botes de fuga". Quanto mais você fugir de um problema, mais ele correrá atrás de você. Fique firme, corajoso e enfrente as suas tempestades.
  3. Seja grato, apesar da situação (vs. 35) - o texto diz que Paulo, "tomando um pão, deu graças a Deus"... Evidente que nem todos ali conheciam a Jesus como seu senhor e salvador... Mas quem é luz, é luz em qualquer lugar e circunstância. Paulo sabia que os marinheiros precisavam comer para ter forças para deixar o barco... Mas também precisavam ter o coração grato pois tudo está no plano e controle de Deus. É assim que Paulo ensina os marinheiros que Deus está no controle e ministra a santa ceia aos tripulantes. Uma tempestade em nossa vida pode nos permitir perder muitas coisas, mas jamais a nossa comunhão com Deus. Tenha sempre um coração agradecido, não importa quais difíceis sejam as circunstâncias... (1Ts 5.18);
  4. Lance fora o peso desnecessário - (vs 38) - isso demonstra confiança em Deus. Você precisa confiar na provisão do Senhor para o dia de amanhã, mesmo que hoje você venha a "perder" algo. Quem confia em Deus sabe que ele jamais abandona os seus, que podemos ter a convicção que ele fará conforme nos prometeu.

Portanto, ancore a sua vida em Deus. Ele recebe nossa oração, nos enche de coragem, proporciona a comunhão e nos dá confiança para enfrentarmos as tempestades.

B) Não lute contra os propósitos de Deus. (v. 40) - após o tempo da preparação para enfrentar a tempestade, agora não se podia tentar resistir. Quando a tempestade aumenta, não adianta você ser "do contra"... Quando as ondas ficam muito altas, as âncoras precisam estar recolhidas, isso significa que o balanço das ondas aumenta, que há uma grande instabilidade e uma força que você não pode controlar. No entanto, Paulo sabia que o Senhor estava no controle e encoraja os tripulantes (leiamos os versículos 22-25). Paulo nos ensina o segredo...aprenda aqui quatro princípios para enfrentar a tempestade:

  1. Deixe que o Senhor dirija (vs. 40) - agora com a tempestade no auge, os marinheiros não podiam fazer mais nada. Ao soltarem as âncoras e os equipamentos de direção e leme, passaram a ser conduzidos pela força dos ventos (incontrolável). No auge da tempestade, de uma enfermidade, não há mais o que controlar. Neste momento o melhor a fazer é descansar no Senhor, confiar plenamente nele.
  2. Espere o tempo certo para dar o próximo passo (vs. 41) - O precipitado morre antes da hora. Quando confiamos que Deus é o nosso refúgio e fortaleza, então sabemos que de alguma forma, tudo vai dar certo. Quando o barco encalhou eles podiam pular do barco, mas se estivessem na hora errada, poderiam morrer afogados. De nada adianta nadar e morrer na praia. É importante esperar a hora certa para agir. Sincronize com o relógio de Deus (Ec. 3.1) - Há um tempo certo para todas as coisas.
  3. Priorize as pessoas, não as coisas (vs. 42,43) - quantas famílias se perderam diante de uma tempestade? Quando pais abandonam os filhos para "se salvarem" de uma crise no casamento? No barco da sua vida, o mais importante não são as coisas, mas as pessoas. Se você perder a sua TV do último tipo, você comprará outra melhor, daqui uns meses... Se perder o seu trabalho, você tem 100% de probabilidade de arrumar outro... Mas se perder um filho para as drogas, para a prostituição e o crime, perdeu tudo.  Quando passamos por perdas, não devemos nos preocupar com coisas materiais e sim com a nossa vida espiritual com a nossa família. O restante, iremos conseguir novamente com a ajuda de Deus. Nosso exemplo na hora de uma crise pode animar a outros.
  4. Lute até a última oportunidade de salvação (vs. 44) - quem está afundando precisa de ajuda, mas antes deve fazer algo por si mesmo. Mas sabemos de muitas histórias de pessoas que foram ajudar os náufragos e pereceram. Quando estamos num avião, somos alertados que se houve algum problema, primeiro ajuste a máscara de oxigênio em você, depois ajude a outro. Quando chega a hora de se pôr em ação, é cada um por si - cada um tem uma tarefa pela qual se esforçar. Enquanto houver possibilidade lute, não morra antes da hora.

Conclusão: seguindo estes oito recursos divinos você pode enfrentar, sobreviver e sair vitorioso de suas tempestades. Ah, não se preocupe, as tempestades simplesmente vêm e vão (elas passam). Não se sabe a hora que chega, nem quanto tempo elas podem durar, mas você terá que sobreviver a elas. No versículo 44, o escritor de Atos (Lucas) escreveu que "foi assim que todos se salvaram..." numa tempestade ninguém valoriza  quem ficou mais pobre ou mais rico, mas sim quem sobreviveu. Não permita que as tempestades afundem sua família, sua vida espiritual e seus sonhos. Todas as demais coisas, podem naufragar, mas você vencerá tudo isso.

Prepare-se para as tempestades da vida através da oração, do jejum, da coragem, da comunhão e da confiança em Deus. Se você já estiver no meio da tempestade, e não puder fazer mais nada, simplesmente levante a âncora, deixe toda resistência humana e confie em Deus, descanse nele, espere o tempo certo e quando chegar a hora de agir, se esforce o máximo possível. Aquele que está em Cristo é mais que vencedor!

Nesta história Paulo nos mostra ainda três verdades: a) reconhecer os erros do passado (vs. 21), b) olhar para o futuro com coragem (vs. 22) e c) ouvir a Deus e confiar na sua intervenção sobrenatural (vs. 23-36)

Powered by: Preachitsuite