Notícias

Escrito por Elton Melo

Uma música nos chama atenção: (Pra sempre. do inglês, forever) - Nesta letra, há uma frase que diz: "Deus Pai o abandonou". e esta frase desperta em nós algumas perguntas: Se Deus nunca desampara seus filhos, porque Jesus perguntou para Deus porque ele foi desamparado ? Seria verdade isso ou tem algo a mais nessa historia ? Por que Jesus disse, na cruz: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Mateus 27:46). Jesus foi abandonado na cruz, ou apenas se sentiu abandonado?

 

O universo chora
O sol se apagou
Ali estava morto o Salvador
Seu corpo lá na cruz
Seu sangue derramou
O peso do pecado Ele levou

Deus Pai o abandonou
Cessou seu respirar
Em trevas se encontrou o Filho
A guerra começou, a morte enfrentou
Todo o poder das trevas vencido foi

A Terra estremeceu, o sepulcro se abriu
E nada vencerá Seu grande amor
Ó, morte, onde estás?
O Rei ressuscitou
Ele venceu pra sempre

Pra sempre Exaltado É
Pra sempre Adorado É
Pra sempre Ele vive
Ressuscitou, ressuscitou

Cantamos Aleluia
O Cordeiro venceu

Grifei a frase "Deus Pai o abandonou"  De onde Jesus retirou esta frase? Por volta das três horas da tarde, Jesus bradou em alta voz: “Eloí, Eloí, lamá sabactâni? ” que significa: “Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste? Mateus 27:46. Se Jesus é Deus, por que Ele diria isso? O grito de Jesus - “Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?” - é como começa Salmos 22. Além de expressar sua dor, Jesus estava citando esse salmo. O Salmo 22 é um salmo profético, escrito pelo rei Davi centenas de anos antes, sobre o sofrimento e a vitória de Jesus. Quando Jesus citou esse salmo, ele estava dizendo que a profecia estava se cumprindo. O Salmo 22 profetizou que:

  • Jesus iria ser zombado – Salmos 22:7-8; Mateus 27:41-43
  • As mãos e os pés de Jesus iriam ser furados – Salmos 22:16; João 20:25-27
  • Pessoas iriam lançar sortes para ficar com sua roupa – Salmos 22:18; João 19:23-24
  • No fim muitas pessoas iriam louvar a Deus – Salmos 22:26-28; Filipenses 2:9-11

Jesus ao citar o Salmo 22.1, chama a atenção para o fato de que Ele estava cumprindo essa profecia lá na cruz. Considere os versículos de 11 a 18 no Salmo 22: “Não fiques distante de mim, pois a angústia está perto e não há ninguém que me socorra. Muitos touros me cercam, sim, rodeiam-me os poderosos de Basã. Como leão voraz rugindo escancaram a boca contra mim. Como água me derramei, e todos os meus ossos estão desconjuntados. Meu coração se tornou como cera; derreteu-se no meu íntimo. Meu vigor secou-se como um caco de barro, e a minha língua gruda no céu da boca; deixaste-me no pó, à beira da morte. Cães me rodearam! Um bando de homens maus me cercou! Perfuraram minhas mãos e meus pés. Posso contar todos os meus ossos, mas eles me encaram com desprezo. Dividiram as minhas roupas entre si, e tiraram sortes pelas minhas vestes. Salmos 22:11-18”

O termo, “cães”, foi usado pelos judeus para se referir aos gentios (conforme. Mt 15:21-28). Seu coração derreteu dentro Dele (v. 14). Durante o processo de crucificação, a perda de sangue faz com que o coração tenha dificuldades em bater ficando extremamente cansado. A desidratação ocorre (v. 15). Versículos 16b-18 falam da perfuração de Suas mãos e pés e a divisão da Sua roupa por sorteio. Isto foi exatamente o que aconteceu, conforme descrito em Mateus 27:35.

O Salmo 22 foi escrito cerca de 1.000 anos antes de Cristo nascer. Naquela época a crucificação (em forma de pregar uma pessoa a um cruz) ainda não tinha sido inventada. Pessoas eram penduradas em madeiro (morte por enforcamento, empalamento), mas foram os romanos quem mais usou a crucificação como meio de execução. Então, quando Roma governava sobre Israel, essa foi a forma romana de aplicar a pena capital aos judeus, que tinham como meio de execução o apedrejamento. No entanto, Jesus aponta para as Escrituras para fundamentar a sua missão messiânica.

A Separação na Cruz

A palavra nos diz em 2 Cor. 5.21: “Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus".  É possível que em algum momento na cruz, quando Jesus tornou-se pecado por nós, de alguma forma o Pai e Filho se separaram espiritualmente, não é possível dizer com certeza o que ocorreu naquele momento, mas a separação é uma das teses mais plausíveis. Jesus se tornou um miserável, um maldito pecador! Um injusto, mau e pecaminoso! A Bíblia diz que Jesus tomou o meu lugar.

A Bíblia diz que Cristo levou “em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça.” (1 Pedro 2.24), outro texto nos diz: “Verdadeiramente, Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e, pelas suas pisaduras fomos sarados.”(Isaias 53.4,5).

Cristo ficou amaldiçoado quando tomou o nosso lugar! O pendurado é maldito de Deus, como está escrito em Deuteronômio 21.23 ("...pois o que for pendurado num madeiro está debaixo da maldição do desprezo de Deus...". O apóstolo Paulo afirma em Gálatas 3.13,14: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós, porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro; para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo e para que, pela fé, nós recebamos a promessa do Espírito.”