Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/alcancevitoria/www/plugins/content/preachit/preachit.php on line 61

Eclesiologia

Conforme afirma Robert Hastings Nichols, “O protestantismo luterano e o reformado concordaram no princípio central da Reforma: O Sacerdócio de todos os crentes, a possibilidade do pecador dirigir-se ao seu Deus, pessoalmente, sem intermediários, exceto Jesus Cristo”. [1] O Sacerdócio universal de todos os crentes é um dos princípios que Deus tem mais zelo na dinâmica de Sua Igreja, ao longo dos séculos, mas parte significativa dos líderes religiosos teima em deixá-lo de lado. A inobservância de tal princípio, possivelmente, é dentre todos, o que mais tem trazido mal à Igreja do Senhor Jesus, aqui na terra. O nepotismo, a corrupção e o clericalismo, próprios da Igreja Romana Medieval, que de alguma forma ainda se manifestam nos dias atuais e a perda da visão espiritual da Igreja Cristã do primeiro século têm muito a ver com a não observância do sacerdócio universal de todos os crentes.

Chegando-vos para ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo. Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. (1 Pedro 2.4-5,9)

No Antigo Testamento os sacerdotes ofereciam sacrifícios e intercediam pelo povo. O que os sacerdotes eram para Israel, Israel, como comunidade do reino de Deus, deveria ser para as nações: se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então, sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos... vós me sereis reino de sacerdotes e nação santa (Êxodo 19.5-6). Deus predisse: vós sereis chamados sacerdotes do Senhor, e vos chamarão ministros de nosso Deus (Isaías 61.1). Na interpretação do Novo Testamento, esta profecia se cumpre sob dois aspectos: (1) Jesus Cristo é o grande sumo sacerdote (Hebreus 4.14) e (2) todos os crentes partilham deste sacerdócio (1 Pedro 2.4-9). O princípio da igreja como uma comunidade de sacerdotes foi defendido pelos reformadores e nos faz refletir o quanto é importante para a nossa vida como cristãos nos dias de hoje.

A maior contribuição de Lutero à eclesiologia protestante foi a sua doutrina do sacerdócio de todos os cristãos. Contudo, nenhum outro elemento de seu ensino é tão mal compreendido. Para alguns, isso significa apenas que não há mais sacerdotes na igreja; é a secularização do clero. Dessa premissa, alguns grupos, notadamente os quacres, defenderam a abolição do ministério como ordem distinta dentro da igreja. Mais comumente, as pessoas acreditam que o sacerdócio de todos os cristãos implica que cada cristão é seu próprio sacerdote, e, assim, possui o “direito do julgamento privado” em assuntos de fé e doutrina. Ambos os casos constituem perversões da intenção original de Lutero. A essência de sua doutrina pode ser expressa numa única frase: todo cristão é sacerdote de alguém, e somos todos sacerdotes uns dos outros.

Quando frequentam ambientes religiosos, lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgênero comumente enfrentam discriminação, acabam desistindo do meio cristão e aprofundando-se no isolamento social. Vista como "aberração" em razão da orientação sexual ou de gênero que fogem do padrão dominante, a população LGBT aos poucos parece encontrar acolhimento por meio da em Santa Catarina. A primeira igreja inclusiva do Estado foi criada há quatro meses em Joinville e, em 17/09/2016, ocorreu em Imbituba o culto inaugural da segunda instituição religiosa focada na diversidade sexual, apesar da resistência de alas religiosas mais conservadoras.

Frases desprovidas de contexto servem de pretexto para muitas coisas. Há alguns meses tenho visto replicadas nas redes sociais, um post com uma imagem e a seguinte frase: "Estão confundido ser cristão com ir a Igreja". O que será que o autor da frase quer nos dizer? O que será que cada pessoa que usa esta frase em suas redes sociais quer nos dizer? Esta frase é correta? O que esta frase nos leva a pensar? Ela está de acordo com a Palavra de Deus?  

Acesse,

Domingo, Outubro 02, 2016
Passage: Hebreus 10.25
Duration: 1 hr 18 mins
Frases desprovidas de contexto servem de pretexto para muitas coisas. Há alguns meses tenho visto replicadas nas redes sociais, um post com uma imagem e a seguinte frase: "Estão confundido ser cristão com ir a Igreja". O que será que o autor da frase quer nos dizer? O que será que cada pessoa que usa esta frase em suas redes sociais quer nos dizer? Esta frase é correta? O que esta frase nos leva a pensar? Ela está de acordo com a Palavra de Deus?
, leia e reflita sobre a ministração do pastor Elton Melo, sobe a importância de congregarmos.