Eclesiologia

A palavra de Deus é muito linda, é poder e vida e convêm nos aprofundarmos em seu estudo a fim de frutificarmos em fé e amor. Somos pequenos demais, tão falhos, frágeis... O que sabemos sobre o amanhã, sobre o fim de nossos dias? Não sabemos, não temos tal capacidade de conhecer sequer o presente, quanto mais o futuro. Mas Deus nos promete o céu, abre seus tesouros para nos revelar que é possível vencer a morte e a vida. Olhar para as revelações de Deus no livro do Apocalipse é confortante, animador, porque o final está escrito e não poderá jamais ser mudado. E esse final nos diz que mesmo quando tudo parecer ter acabado, ainda não será o fim. Deus reservou um descanso para o seu povo, também reservou provisão diária para seus filhos.

Embora algumas pesquisas foram realizadas nos Estados Unidos, acredito que retratam também a realidade em outros países cujas igrejas e sociedades são fortemente influenciados pela cultura americana, como é o caso do Brasil. Que possamos receber visão do Senhor para compreender o momento histórico que estamos vivendo e que o Espírito Santo acenda em nossos corações o temor do Senhor e o amor pela sua vinda. Será este o inicio da grande apostasia (abandono da fé verdadeira) descrita pelo Apostolo Paulo aos irmãos Tessalonicenses (2 Ts 2.3), ou esta é uma característica da mentalidade de Laódiceia que nos leva a afirmar nossa autossuficiência? (Ap 3.17).

Morar em Esmirna no primeiro século não seria fácil para o discípulo de Jesus. Além das perseguições pelos judeus, eles enfrentavam uma ameaça mais organizada e mais poderosa. A idolatria oficial, juntando a religião à força do governo, prometia uma perseguição perigosa aos cristãos da cidade, tentando-os a abandonarem a sua fé para melhorar as suas circunstâncias ou até para evitar a morte violenta. Para vencer esta tentação, teriam que acreditar no poder daquele que já venceu a morte. Mesmo se morressem, as suas vidas eternas seriam garantidas somente se mantivessem sua confiança no eterno Senhor, "o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver”. Leia a série completa: Cartas às sete Igrejas

"Tens, contudo, a teu favor que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio”. (Ap. 2.6) “Assim tens também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que eu odeio”. (Ap. 2.15) Qual o significado da palavra “nicolaítas” mencionada na carta a igreja em Éfeso? A palavra nicolaítas significa: superior aos outros. “nicolaítas”, em grego, é composta de duas palavras: “nikao” e “Laos”. Nikao significa “conquistar” e Laos significa “povo comum” ou “Laicato” (leigo). Então, “nicolaítas” significa “conquistando o povo comum ou leigo”.

“Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua perseverança; sei que não podes suportar os maus, e que puseste à prova os que se dizem apóstolos e não o são, e os achaste mentirosos; e tens perseverança e por amor do Meu nome sofreste, e não desfaleceste. ...Tens, porém isto; que aborreces as obras dos nicolaitas, as quais Eu também aborreço.” Apocalipse 2:2-3, 6.  O povo de Deus nesta fase da história enfrentou forte oposição, dentro e fora da sua comunidade. Na sua perseverança, os efésios suportaram as mais duras provas e não desanimaram. Depois de tantas advertências sobre o perigo de falsos mestres, a defesa da verdade se tornou um ponto forte para o povo de Deus durante o período apostólico. Falsos apóstolos foram desmascarados. Eram os chamados “falsificadores da palavra de Deus” (II Coríntios 2:17) e esses tais falsos apóstolos foram considerados “obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo” (II Coríntios 11:13). Todos foram postos à prova e desmascarados como mentirosos.Cartas às sete Igrejas