História da Igreja

Escrito por Elton Melo

A CIBI, Convenção das Igrejas Batistas Independentes é hoje uma organização que reúne mais de 800 igrejas autônomas, congregações e campos missionarios espalhadas por todo o território nacional e também em vários países, tanto na América Latina, África, Ásia, Europa e Janela 10/40. É entidade membro da Aliança Batista Mundial e coopera com outras agências missionárias e denominações na plantação de Igrejas, Seminários e Projetos Sociais.

Fruto do trabalho missionário da Missão de Örebro-Suécia (hoje Interact) iniciado em 1891, que em 1912 enviou o missionário Erik Janson ao Brasil, a CIBI foi organizada em 1952 como uma entidade religiosa de caráter não econômico, constituída de igrejas que reconhecem a Bíblia como a infalível Palavra de Deus e aceitam como regra de prática cristã o manual “Princípios de Nossa Fé”.A CIBI é uma organização que se adapta ao modelo congregacional de administração, através do qual a assembléia geral é o órgão maior para todas as decisões, prestação de contas e relatórios de atividades e as igrejas membro têm o direito de enviar delegados, os quais podem votar e serem votados para cargos administrativos.

A função primária das Igrejas filiadas à CIBI é promover o reino de Deus na terra, começando pelo Brasil visando alcançar cada povo, língua e nação, mediante ações evangelísticas realizadas tanto pela pregação do evangelho como pelo desenvolvimento de programas de ação social e educacional.Entendemos que a GRANDE COMISSÃO é tarefa da igreja local, e a CIBI age como ponte de ligação entre a igreja que envia, o missionário que vai e o povo que recebe a ação.Para que isso se realize, cada igreja membro da CIBI tem o compromisso de enviar mensalmente o dízimo dos dízimos, além do envolvimento voluntário nos demais projetos missionários, seja nos programas de adoção, como através de ofertas periódicas. Outra função da CIBI é promover a fraternidade e a integração entre as igrejas com ela aliançadas, o que o faz mediante os órgãos de comunicação e através da realização de encontros de liderança, congressos variados, simpósios, cursos, intercambio, e convenções.

O Nome Independente não se originou de uma divisão, mas da união de várias igrejas “independentes” e que desejavam manter-se autônomas quanto ao seu sistema administrativo, estabelecendo-se como vínculo dessa união, o manual princípios de nossa fé.