John Ongman

John Ongman (1844 - 1931) foi um pastor batista sueco e fundador da Sociedade Missionária de Orebro e Missionária da Escola de Orebro. Ele também foi o primeiro pastor da Primeira Igreja Batista Sueca, em Saint Paul, Minnesota, e também um pastor da Primeira Igreja Batista Sueca, em Chicago. Ele foi um evangelista enérgico e influente líder dos batistas suecos na América e na Suécia. Ele iniciou o seu serviço como um pregador de tempo integral em 1866 e em 1868 emigrou para Chicago, EUA. Em 1873 fundou a Primeira Igreja Batista Sueca em Saint Paul, Minnesota (EUA).

 

Corria o ano de 1810. Nessa época, Gustavo I, assumindo o trono sueco, desapropria os bens da Igreja Católica Romana, fazendo com que a Suécia, pais situado na porção oriental da Península Escandinava, rompesse, assim, relações com o Vaticano e estabelece o Luteranismo como religião oficial do Estado.

Nesse país, na linda província de Jamtland, nasce, a 15 de novembro de 1845, John Ongman. Embora tenha nascido num lar bastante pobre, John herdou de seus pais uma esmerada educação religiosa através do preceituário luterano, sem que isso viesse, contudo, a configurar em sua formação genuinamente evangélica. Os primeiros sintomas vocacionais revelados na vida desse menino se manifestam aos seus dez anos ser clérigo da Igreja Luterana. Mesmo vivendo num pais evangélico por tradiç ão, o jovem Ongman vê o tempo passar sem que pudesse concretizar seu ideal, talvez por falta de estimulo da família, ou por falta de recursos para estudar John começa a viver, portanto, uma vida normal como qualquer outro menino: trabalhar desde cedo para ajudar no sustento da família, e nos momentos de lazer ocupa-se com a pescaria, nas noites de verão, ou a andar de esquis nas montanhas durante o inverno. Aos 17 anos Ongman ingressa na carreira militar, profissão de seu pai e de seu avô.

A vida profissional e a relação com sua família corriam normal para John; contudo, ele não estava plenamente satisfeito. Havia algo dentro de si que aspirava por valores transcedentais aos humanos: sua relação com Deus. Em 1864, domingo pela manhã, Ongman visita um velho amigo de infância. Esse amigo era crente e aproveitando-se da oportunidade, fala de Jesus a Ongman - as palavras do amigo penetram em seu coração - John Ongman converte-se ao Senhor Jesus. No dia 4 de março desse mesmo ano é batizado nas águas pelo pastor Sven Jonsson, da Igreja Batista, em Kovra. O ato batismal realiza-se num buraco aberto no gelo; isso, porém, não é obstáculo a quem vive num país cuja temperatura chega a -50ºC, no inverno.

JOHN ONGMAN, UM PREGADOR

Após a conversão e batismo, renasce em sua vida o sentimento de infância: ser pregador da Palavra de Deus. Agora, porém, com uma diferença: não mais por uma simples carreira profissional herdada de seus ancestrais, mas por uma convicção firme de que realmente Deus queria usá-lo a fim de ganhar almas para Cristo. Suas primeiras experiências nesta nova fase de vida revelam-se em formas especiais: certa ocasião realizava-se uma boda na casa onde residia: pedindo licença aos convidados lê a narrativa do “Filho Pródigo”, e fala sobre o amor de Cristo. Noutra ocasião, ao passar por um local onde estava sendo realizado um baile, falou aos dançantes sobre um desastre ocorrido nas vizinhanças e concitou os jovens a pensar em sua relação com Deus. Através dessas experiências iniciais, Ongman sente em sua vida que Deus estava separando-o para o Santo Ministério da Pregação do Evangelho.

A Igreja de que Ongman passou a fazer parte como membro entendeu plenamente que Deus tinha um plano para esse jovem e muito fez a fim de que o seu dom fosse despertado. E no ano de 1866, John é separado como pregador. Iniciava-se, dessa forma, o ministério cristão de um homem a favor de homens, cuja extensão e valor somente os céus poderão revelar.

JOHN ONGMAN RUMO AOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

A 14 de maio de 1868, Ongman embarca em direção aos Estados Unidos da América. Na América, Ongman imediatamente se faz conhecer e é convidado a pastorear uma pequena congregação da Igreja Batista. Nesse tempo, a exemplo do apóstolo Paulo, precisa trabalhar em atividades extra-eclesiais para garantir o seu sustento, mas no ano seguinte, isto é, 1869, a igreja dá-lhe condições para dedicar-se exclusivamente ao trabalho do Evangelho. Estando ainda na América, serve a Convenção Batista Sueca de Minnesota, especialmente como missionário entre os escandinavos. Em maio de 1873, The American Baptist Home Mission Society, convida-o para começar um trabalho entre os suecos que estavam em Saint Paul. Nesse mesmo ano organiza a Igreja Batista, em Saint Paul, com 12 membros, e, ao regressar à Suécia em 1890, contava a Igreja com algumas centenas de membros e um majestoso templo. Enquanto Ongman se dedica ao pastorado das igrejas batistas nos Estados Unidos, sente a necessidade e o valor de uma vida cristã abundante, passando, então, a adotar uma nova ideologia eclesiástica: levar os crentes a ter experiências profundas com Deus.

ONGMAN, PASTOR DA IGREJA BATISTA BETEL DE ÖREBRO

Ongman, aceitando o convite da Igreja Batista Betel de Orebro, deixa os Estados Unidos em 1890, e regressa à sua terra natal, Suécia. Estando ainda latentes em sua vida as experiências que gozara com Deus na América, Ongman procura levar a Igreja de Orebro a entender esta realidade. Para ele duas coisas eram fundamentais ao sucesso da igreja do Senhor aqui na terra: o batismo com o Espírito Santo e um aprimorado conhecimento das Escrituras Sagradas. Assim sendo, no ano de 1891, ao se realizar a 12a.Convenção distrital das Igrejas Batistas, propôs a essa assembléia a criação de uma escola bíblica mista. Os batistas se opuseram; não podiam aceitar a participação numa escola bíblica de pessoas do sexo feminino, pois isto poderia se configurar também na aceitação de mulheres no ministério cristão. Ongman provou através de seus argumentos apoiados na Palavra de Deus que a mulher tem uma importante missão a cumprir no sacerdócio divino. A idéia é aceita, e Deus revela sua vontade através dos planos de seu humilde e dedicado servo. Daí para frente, as escolas bíblicas destinadas aos professores da Escola Dominical, pregadores do Evangelho e aspirantes ás missões nacionais e estrangeiras passam a ser uma realidade sistemática na Suécia.

Ainda nesse mesmo ano, Ongman consegue que sua igreja programe uma série de conferências destinadas aos crentes, com a finalidade de levá-los a uma vida mais rica com Deus, estimulada na edificação espiritual. De todas as partes da Suécia chegam os crentes anelantes por um avivamento dos céus. Deus os atendeu - a Suécia experimentou algo sobrenatural - os crentes são batizados com o Espírito Santo. O servo de Deus é usado para o fortalecimento da fé de seus seguidores.

Os anos que o pastor Ongman permaneceu frente ao trabalho da Igreja de Õrebro foram de verdadeiro reflorescimento espiritual e de avanço na conquista de almas para Cristo. Também datam dessa mesma época as duas maiores realizações educacionais e missionárias de Ongman: a criação da Junta Missionária de Orebro e a Escola Missionária de Orebro.

JUNTA MISSIONÁRIA DE ÖREBRO

A Junta Missionária de Órebro (Õrebro Missionsforning), hoje, Órebromissionen, organizada em 1892, por 25 membros da Igreja Batista de Õrebro, é uma Instituição que tem por finalidade a promoção do evangelismo nacional e também estrangeiro. A Junta de Órebro, não é, portanto, uma “Confederação Evangélica com igrejas coordenadas sob sua direção. É simplesmente um órgão para manter o trabalho evangélico na Pátria e no estrangeiro, dando prioridade aos países vizinhos”. As igrejas que geralmente cooperam com a Junta, ou que nela têm um órgão mediador para sua missão no estrangeiro são, via de regra, igrejas Batistas independentes. A Junta Missionária de Orebro, surgindo de um começo humilde e despretencioso, veio corroborar com o sentimento unânime de que os batistas são um povo ligado à mentalidade missionária. Deus, abençoando o ministério do seu servo, salva almas na Suécia e os nossos irmãos, que de graça receberam, de graça também desejaram dar.

ESCOLA MISSIONÁRIA DE ÕREBRO

A história da Escola Missionária de Õrebro está relacionada com os grandes avivamentos que entre os anos 1890 e 1907 atingiram a Suécia, especialmente Õrebro. Os jovens crentes compenetrando-se a respeito de sua responsabilidade de evangelizar e, ao mesmo tempo, sentindo a carência de um conhecimento mais sólido das Escrituras Sagradas, pedem a Ongman um estudo a respeito do assunto. As escolas bíblicas, que vinham sendo realizadas a princípio de três semanas e finalmente de cinco, satisfaziam a situação atual e regional, mas não eram o suficiente para um ministério efetivo, integral. Dessa forma, Ongman, acatando a idéia apresentada por esses jovens, encaminha o parecer à reunião da Junta, que a aprova. A 15 de setembro de 1908, as dependências da Igreja Filadélfia servem para a aula inaugural dessa abençoada escola e Ongman é eleito seu diretor.

AS IGREJAS DA CONVENÇÃO BATISTA DE ÖREBRO

Com a dimensão espiritual que Ongman, por direção divina, procurou implantar na igreja de Örebro, houve uma corrente que se opôs às suas ideologias, optando pela preservação dogmática do ensino anterior. Uma outra corrente aquiesceu às doutrinas ensinadas por Ongman. Não sendo possível a conciliação dessas duas facções, e diga-se, a bem da verdade, única e exclusivamente por questão do batismo com o Espírito Santo, uma centena de membros solicitou carta demissória da Igreja Betel de Õrebro, para formarem a 2ª Igreja Batista Filadélfia de Örebro. Ongman, aceitando o pastorado dessa nova igreja, nela permaneceu até o ano de 1917.

Durante todo esse tempo Ongman não se desligou da Convenção Batista de Estocolmo, nem mesmo a 2ª Igreja Batista Filadélfia. Somente no ano de 1937, portanto, seis anos após a morte de John Ongman, é que a igreja Filadélfia e mais 70 igrejas se desligaram da Convenção Batista de Estocolmo, formando, assim, a Convenção Batista de Örebro.

JOHN ONGMAN MORRE

Dia 28 de fevereiro de 1931, sábado pela manhã, os jornais e todos os meios de comunicação se encarregaram de noticiar a morte de John Ongman. O bravo soldado, grande batalhador, doutrinador sábio, pastor zeloso, amigo sincero, chefe de familia compreensivo e missionário de visão - morre. Ao ser recolhido ao Lar Celestial contava com a avançada idade de 85 anos, três meses e três dias e mesmo assim jamais se mostrara cansado. A longa e espinhosa carreira de sacerdócio divino serviu para rejuvenescer sua vida, haja vista que na noite anterior ao seu falecimento esteve lecionando na Escola Missionária de Örebro fundada por ele mesmo. A morte ceifou seu corpo, mas sua obra continua imortal.


Imprimir   Email
Encontrou um erro de digitação? Por favor, selecione-o e pressione Ctrl + Enter.