Aprenda a orar

CAPÍTULO VII - PERMANECENDO EM CRISTO

“Se vós permanecerdes em Mim e Minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes e ser-vos-á feito.” (João 15:7) Todo o segredo da oração é encontrado nestas palavras de nosso Senhor. Aqui está a oração que tem um poder ilimitado: "Pergunte o que quiseres e ser-te-á feito".

Há uma maneira de perguntar e obter precisamente o que pedimos e recebendo tudo o que pedimos. Cristo dá duas condições para essa oração que tudo se transforma:

1. A primeira condição é: “Se vós permanecerdes em mim”

O que é permanecer em Cristo?

Algumas explicações que foram dadas sobre isso são tão místicas ou tão profundas que, para muitos filhos de Deus simplórios (mentes de crianças), não significam praticamente nada; mas o que Jesus quis dizer foi realmente muito simples.

Ele havia se comparado a uma videira, Seus discípulos aos ramos da videira. Alguns ramos continuaram na videira, isto é, permaneceram em união viva com a videira, de modo que a seiva ou vida da videira fluía constantemente para esses ramos. Eles não tinham vida independente própria. Tudo neles era simplesmente o resultado da vida da videira fluindo para eles. Seus brotos, suas folhas, suas flores, seus frutos, não eram realmente deles, mas os brotos, folhas, flores e frutos da videira. Outros ramos foram completamente cortados da videira, ou então o fluxo da seiva ou da vida da vinha para eles foi de alguma forma impedido. Agora, para que permaneçamos em Cristo, é para nós termos a mesma relação com Ele, que o primeiro tipo de ramo dá à videira; isto é, permanecer em Cristo é renunciar a qualquer vida independente nossa, desistir de tentar pensar nossos pensamentos, formar nossas resoluções ou cultivar nossos sentimentos, e simplesmente e constantemente olhar para Cristo para pensar em Seus pensamentos. nós, para formar Seus propósitos em nós, para sentir Suas emoções e afeições em nós. É renunciar a toda a vida independente de Cristo, e constantemente olhar para Ele para o influxo de Sua vida em nós, e o cumprimento de Sua vida através de nós. Quando fazemos isso, e na medida em que fazemos isso, nossas orações obterão aquilo que buscamos de Deus.

Isto deve necessariamente ser assim, pois nossos desejos não serão nossos próprios desejos, mas de Cristo, e nossas orações não serão, na realidade, nossas próprias orações, mas Cristo orando em nós. Tais orações sempre estarão em harmonia com a vontade de Deus, e o Pai o ouve sempre. Quando nossas orações falham, é porque elas são de fato nossas orações. Nós concebemos o desejo e formulamos a petição de nós mesmos, em vez de olhar para Cristo para orar através de nós.

Dizer que alguém deve permanecer em Cristo em todas as suas orações, olhando para Cristo para orar por Ele ao invés de orar a si mesmo, está simplesmente dizendo de outra maneira que alguém deveria orar “no Espírito”. Quando assim permanecemos em Cristo, nossa pensamentos não são nossos próprios pensamentos, mas Suas, nossas alegrias não são nossas próprias alegrias, mas Suas, nosso fruto não é nosso próprio fruto, mas o Seu; Assim como os brotos, folhas, flores e frutos do ramo que habita a videira não são brotos, folhas, flores e frutos do ramo, mas da própria videira cuja vida está fluindo para o ramo e se manifesta nesses botões , folhas, flores e frutos.

Para habitar em Cristo, é claro que já deve estar em Cristo através da aceitação de Cristo como um Salvador expiatório da culpa do pecado, um Salvador ressurreto do poder do pecado e um Senhor e Mestre durante toda a sua vida. Estar em Cristo, tudo o que temos que fazer para permanecer (ou continuar) em Cristo é simplesmente renunciar a nossa vida própria - renunciando totalmente a todo pensamento, todo propósito, todo desejo, todo afeto próprio, e apenas olhando dia após dia. e hora a hora para que Jesus Cristo formasse Seus pensamentos, Seus propósitos, Suas afeições, Seus desejos em nós. Permanecer em Cristo é realmente uma questão muito simples, embora seja uma maravilhosa vida de privilégio e poder.

2. Mas há outra condição declarada neste versículo, embora esteja realmente envolvida na primeira: “E minhas palavras permanecem em você”.

Se quisermos obter de Deus tudo o que pedimos Dele, as palavras de Cristo devem permanecer ou continuar em nós. Devemos estudar Suas palavras, devorar justamente Suas palavras, deixá-las afundar em nosso pensamento e em nosso coração, mantê-las em nossa memória, obedecê-las constantemente em nossa vida, deixá-las moldar e moldar nossa vida diária e nossos atos. 

Este é realmente o método de permanecer em Cristo. É através de Suas palavras que Jesus se entrega a nós. As palavras que Ele nos fala são espírito e são vida. (João 6:33) É inútil esperar poder em oração, a menos que meditemos muito sobre as palavras de Cristo, e que elas afundem profundamente e encontrem uma morada permanente em nossos corações. Há muitos que se perguntam por que são tão impotentes na oração, mas a explicação muito simples disso tudo é encontrada em sua negligência das palavras de Cristo. Eles não ocultaram Suas palavras em seus corações; Suas palavras não permanecem nelas. Não é por períodos de meditação mística e experiências arrebatadoras que aprendemos a permanecer em Cristo; é alimentando-se de Sua palavra, Sua palavra escrita como encontrada na Bíblia, e olhando para o Espírito Santo para implantar estas palavras em nossos corações e torná-las uma coisa viva em nossos corações. Se assim deixarmos as palavras de Cristo permanecerem em nós, elas nos estimularão em oração. Eles serão o molde em que nossas orações são moldadas, e nossas orações serão necessariamente ao longo da linha da vontade de Deus, e prevalecerão com ele. A oração que prevalece é quase uma impossibilidade onde há negligência no estudo da Palavra de Deus.

Mero estudo intelectual da Palavra de Deus não é suficiente; deve haver meditação sobre isso. A Palavra de Deus deve ser revolvida repetidas vezes na mente, com um olhar constante para Deus pelo Seu Espírito para fazer dessa Palavra uma coisa viva no coração. A oração que nasce da meditação sobre a Palavra de Deus é a oração que se eleva mais facilmente ao ouvido que escuta a Deus.

George Muller, um dos homens mais poderosos da oração da geração atual (1901), quando a hora da oração veio, começaria lendo e meditando sobre a Palavra de Deus até que, do estudo da Palavra, uma oração começou a se formar em seu coração. Assim, o próprio Deus foi um verdadeiro autor da oração, e Deus respondeu às orações que Ele mesmo havia inspirado.

A Palavra de Deus é o instrumento pelo qual o Espírito Santo trabalha, é a espada do Espírito em mais de um sentido; e aquele que conhece a obra do Espírito Santo em qualquer direção deve se alimentar da Palavra. Aquele que ora no Espírito deve meditar muito sobre a Palavra, para que o Espírito Santo possa ter algo através do qual Ele possa trabalhar. O Espírito Santo opera Suas orações em nós através da Palavra, e a negligência da Palavra faz com que a oração no Espírito Santo seja uma impossibilidade. Se alimentássemos o fogo de nossas orações com o combustível da Palavra de Deus, todas as nossas dificuldades em oração desapareceriam.


Imprimir   Email
Encontrou um erro de digitação? Por favor, selecione-o e pressione Ctrl + Enter.