Aprenda a orar

Índice de Artigos

CAPÍTULO X - QUANDO ORAR

Se quisermos conhecer a plenitude da bênção que existe na vida de oração, é importante não apenas que oremos da maneira correta, mas também que oremos na hora certa. O próprio exemplo de Cristo é cheio de sugestividade quanto ao momento certo para a oração.

1. No primeiro capítulo de Marcos, o versículo 35, lemos: “De MADRUGADA, QUANDO AINDA ESTAVA ESCURO, Jesus levantou-se, saiu de casa e foi para um lugar deserto, onde ficou orando."

JESUS ​​ESCOLHEU A PRIMEIRA HORA DA MANHÃ PARA A ORAÇÃO. Muitos dos homens mais poderosos de Deus seguiram o exemplo do Senhor nisso. Na hora da manhã, a mente está fresca e no seu melhor. É livre de distração, e essa concentração absoluta em Deus que é essencial para a oração mais eficaz é mais facilmente possível nas primeiras horas da manhã. Além disso, quando as primeiras horas são passadas em oração, todo o dia é santificado, e o poder é obtido para superar suas tentações e para cumprir seus deveres. Mais pode ser realizado em oração nas primeiras horas do dia do que em qualquer outra hora durante o dia. Todo filho de Deus que tirasse o máximo proveito de sua vida por Cristo, deveria separar a primeira parte do dia para se encontrar com Deus no estudo de Sua Palavra e em oração. A primeira coisa que fazemos todos os dias deve ser ir sozinho com Deus e encarar os deveres, as tentações e o serviço daquele dia e obter a força de Deus para todos. Devemos obter a vitória antes que chegue a hora da provação, tentação ou serviço. O lugar secreto da oração é o lugar para lutar nossas batalhas e ganhar nossas vitórias.

2. No sexto capítulo de Lucas no versículo 12, temos mais luz sobre o momento certo para orar. Nós lemos: “E aconteceu naqueles dias que Ele saiu a um monte para orar, e continuou TODA A NOITE em oração a Deus”.

Aqui vemos Jesus orando à noite, passando a noite inteira em oração. É claro que não temos razão para supor que essa era a prática constante de nosso Senhor, nem sabemos quão comum era essa prática, mas certamente houve momentos em que a noite inteira foi entregue à oração. Aqui também fazemos bem em seguir os passos do Mestre.

É claro que há uma maneira de separar noites para a oração em que não há lucro; é legalismo puro. Mas o abuso dessa prática não é motivo para negligenciá-la completamente. Não se deve dizer: "Vou passar uma noite inteira em oração", pensando que há algum mérito que vai ganhar o favor de Deus em tal exercício; isso é legalismo. Mas muitas vezes fazemos bem em dizer: “Vou separar esta noite para encontrar Deus e obter Sua bênção e poder; e se necessário, e se Ele assim me conduzir, eu darei a noite toda à oração ”. Muitas vezes teremos orado muito antes de a noite passar, e podemos nos retirar e encontrar um sono mais refrescante e revigorante do que se tivéssemos não passou o tempo em oração. Em outras ocasiões, Deus indubitavelmente nos manterá em comunhão com Ele mesmo de manhã, e quando Ele fizer isso em Sua infinita graça, bem-aventurados são estas horas de oração noturna!

Noites de oração a Deus são seguidas por dias de poder com os homens. Nas primeiras horas da noite o mundo está silencioso e podemos facilmente ficar a sós com Deus e ter comunhão imperturbável com ele. Se nós separarmos a noite inteira para a oração, não haverá pressa, haverá tempo para nossos próprios corações ficarem quietos diante de Deus, haverá tempo para toda a mente ser trazida sob a direção do Espírito Santo, lá Teremos muito tempo para orar as coisas. Uma noite de oração deve ser colocada inteiramente sob o controle de Deus. Não deveríamos estabelecer regras quanto a quanto tempo vamos orar, ou quanto ao que devemos orar, mas estar prontos para esperar em Deus por um curto ou longo tempo, como Ele pode levar, e ser levado em um só lugar. direção ou outro como Ele pode achar adequado.

3. Jesus Cristo orou ANTES DE TODAS AS GRANDES CRISES EM SUA VIDA TERRESTRE.

Ele orou antes de escolher os doze discípulos; antes do sermão do monte; antes de começar um tour evangelístico; antes de Sua unção com o Espírito Santo e Sua entrada em Seu ministério público; antes de anunciar aos doze a sua morte que se aproximava; antes da grande consumação de Sua vida na cruz. (Lucas 6:12,13; Lucas 9:18,21,22; Lucas 3:21,22; Marcos 1:35-38; Lucas 22: 39-46.) Ele se preparou para todas as crises importantes por uma temporada prolongada de oração. Então devemos fazer também. Sempre que qualquer crise da vida é vista como se aproximando, devemos nos preparar para ela numa época de oração muito definida para Deus. Devemos ter muito tempo para esta oração. 

4. Cristo orou não apenas antes dos grandes eventos e vitórias de Sua vida, mas também orou APÓS SEUS GRANDES REALIZAÇÕES E CRISES IMPORTANTES.

Quando Ele alimentou os cinco mil com os cinco pães e dois peixes, e a multidão desejou pegá-lo e fazê-lo rei, depois de mandá-los embora, subiu ao monte para orar e passou horas ali sozinho em oração a Deus. (Mateus 14:23; João 6:15). Então ele passou de vitória em vitória.

É mais comum a maioria de nós orar diante dos grandes eventos da vida do que orar depois deles, mas a última é tão importante quanto a primeira. Se orássemos depois das grandes realizações da vida, poderíamos continuar ainda maiores; como muitas vezes somos ou inchados ou esgotados pelas coisas que fazemos em nome do Senhor, e assim não avançamos mais. Muitos e muitos homens que responderam à oração foram dotados de poder e assim fizeram grandes coisas em nome do Senhor, e quando estas grandes coisas foram realizadas, em vez de irem sozinhas com Deus e humilharem-se diante dEle, e darem-Lhe toda a glória pelo que foi alcançado, ele se congratulou com o que foi realizado, tornou-se inchado e Deus foi obrigado a deixá-lo de lado. As grandes coisas feitas não foram seguidas por humilhação de si mesmo, e oração a Deus, e assim o orgulho chegou e o poderoso homem foi despojado de seu poder.

5. Jesus Cristo dedicou um tempo especial à oração QUANDO A VIDA ESTAVA IMENSAMENTE OCUPADA. Ele iria retirar-se em tal momento das multidões que se aglomeravam ao seu redor, e ir para o deserto e orar. Por exemplo, lemos em Lucas 5: 15,16: “Porém, muito mais se divulgou no mundo a respeito dele: e grandes multidões se uniram para ouvir e para serem curadas de suas enfermidades. Mas Ele se retirou nos desertos e orou. ”(R.V.)

Alguns homens são tão ocupados que não encontram tempo para a oração. Aparentemente, a vida mais ocupada de Cristo era, mais ele orava. Às vezes Ele não tinha tempo para comer (Marcos 3:20), às vezes Ele não tinha tempo para descansar e dormir (Marcos 6: 31,33,46), mas Ele sempre teve tempo para orar; e quanto mais o trabalho lotava, mais Ele orava.

Muitos homens poderosos de Deus aprenderam esse segredo de Cristo, e quando o trabalho se amontoou mais do que o normal, eles separaram uma quantidade incomum de tempo para a oração. Outros homens de Deus, outrora poderosos, perderam o poder porque não aprenderam esse segredo e permitiram que o trabalho crescente espalhasse a oração.

Anos atrás, era privilégio do escritor, com outros estudantes de teologia, fazer perguntas a um dos homens cristãos mais úteis do dia. O escritor foi levado a perguntar:

"Você vai nos dizer algo sobre sua vida de oração?"

O homem ficou em silêncio por um momento e, voltando seus olhos para mim, respondeu:

"Bem, devo admitir que tenho estado tão cheio de trabalho ultimamente que não dei o tempo que deveria para a oração".

É de se admirar que aquele homem tenha perdido o poder, e a grande obra que ele estava fazendo fosse reduzida em um grau muito acentuado? Nunca nos esqueçamos de que quanto mais o trabalho nos pressiona, mais tempo devemos gastar em oração.

6. Jesus Cristo orou ANTES DAS GRANDES TENTAÇÕES DE SUA VIDA.

Ao aproximar-se cada vez mais da cruz e perceber que o grande teste final de sua vida viria, Jesus foi ao jardim para orar. Ele veio “a um lugar chamado Getsêmani e disse aos discípulos:“ Sente-se aqui enquanto eu vou e oro ”. (Mateus 26:36) A vitória do Calvário foi conquistada naquela noite no jardim do Getsêmani. A calma e majestade de seu porte ao enfrentar as terríveis investidas da Sala de Julgamentos e do Calvário de Pilatos foi o resultado da luta, da agonia e da vitória do Getsêmani. Enquanto Jesus orava, os discípulos dormiam, então Ele permaneceu firme enquanto eles caíam vergonhosamente.

Muitas tentações nos alcançam de surpresa e sem aviso prévio, e tudo o que podemos fazer é levantar um grito a Deus pedindo ajuda naquele momento; mas muitas das tentações da vida podemos ver aproximando-se à distância, e nesses casos a vitória deve ser vencida antes que a tentação realmente nos alcance.

7. Em 1 Tessalonicenses 5:17 lemos: "Ore sem cessar" e em Efésios. 6:18, nos diz: "orando em todas as estações." (R.V.)

Toda a nossa vida deve ser uma vida de oração. Devemos andar em constante comunhão com Deus. Deve haver um constante olhar para cima da alma para Deus. Devemos andar tão habitualmente em Sua presença que, mesmo quando acordamos durante a noite, seria a coisa mais natural do mundo que falássemos com Ele em agradecimento ou em petição.


Imprimir   Email
Encontrou um erro de digitação? Por favor, selecione-o e pressione Ctrl + Enter.