A prática do jejum e da oração

A Bíblia nos dá  vários exemplos de pessoas que jejuaram; desde os grandes personagens do Velho até o Novo Testamento praticaram o jejum. Os médicos que investigam o que acontece com o organismo durante o jejum descobriram que, para a maioria das pessoas, é muito mais fácil eliminar a alimentação, em se tratando de regime alimentar, do que diminuir as suas quantidades. Logo, perceberam duas reações importantes: durante o jejum,

o corpo elimina grandes quantidades de toxinas acumuladas nas gorduras; e com o jejum, a circulação sangüínea não se concentra tanto no estômago, irrigando melhor o cérebro. Consequentemente liberando maiores energias mentais, que podem refazer os desgastes nervosos. Todos os cristãos têm o privilégio de poder jejuar e orar, gozando assim dos enormes benefícios, tanto a nível individual como ao Reino de Deus.
Como cristãos porquê devemos jejuar? O principal motivo do jejum, além dos benefícios citados pelos médicos quanto ao fisíco, é dar atenção especial às necessidades da alma. É buscar uma comunhão mais íntima com Deus, em estado de humildade e submissão à Sua excelsa e soberana vontade. Não é sacrifício em troca de bênçãos. É um momento em que devemos dirigir as nossas energias espirituais para uma comunicação mais íntima com Deus, confissão de nossos pecados e um desejo sincero de achegarmos a Deus, consagrando mais as nossas vidas, através da oração. "Joel 2:12,13 ...Ainda assim, agora mesmo diz o Senhor: convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto".

Quando devemos jejuar? A Bíblia nos fala de circunstâncias específicas onde o jejum era apropriado - circunstâncias estas que podem acontecer em nossas vidas hoje:
1) Calamidades públicas. Houve choro e jejum quando o Rei Saul e seu filho Jônatas foram mortos. (II Samuel 1.12).
2) Quando intercedemos pelas vidas aflitas.(Salmo 35.13).
3) Durante uma crise pessoal. Davi buscou ao Senhor através da oração e do jejum, para Deus poupar a vida de seu filho. (II Samuel 12.16,21-23).
4) Quando precisamos de direção e orientação específica. "Esdras 8.21 ... Então apregoei ali um jejum junto ao rio Aava , para humilharmos diante da face do nosso Deus, para lhe pedirmos caminho direito para nós, e para nossos fllhos,..."
5) Quando há perigo para enfrentar. Ester pediu que o povo jejuasse durante três dias e três noites, antes dela falar com o Rei para interceder pela vida do povo.(Ester 4.16).
6) Quando um líder espiritual pede para jejuarmos. Esdras, um sacerdote, pediu ao povo que jejuasse para que Deus os guiasse numa jornada feliz. (Esdras 8.21).
7) Pela salvação da cidade, ou País. Homens, e animais, pequenos e grandes jejuaram para a salvação da cidade de Nínive. (Jonas 3.1-10).

Qual deve ser a freqüência e a duração do jejum?
A freqüência do nosso jejum depende da orientação que recebemos do Espírito Santo. Quando estamos em crise; quando estamos sentindo uma grande necessidade de nos comunicarmos com Deus; quando precisamos de uma orientação específica, devemos considerar o fato de duração do jejum; entretanto, podemos ver alguns exemplos citados nas Escrituras e talvez tirarmos algumas conclusões pessoais. Moisés, Elias e Jesus Cristo jejuaram durante quarenta dias. Estes longos jejuns ocorreram durante épocas difíceis e por razões específicas Moisés buscou orientação para o seu povo. (Deuteronômio.9.18; Êxodo 24.18; 34.28). Elias passou por uma crise pessoal. (I Reis 19.8) Jesus jejuou quando foi tentado por satanás no deserto. (Mateus 4.2; Marcos 1.12,13).

Nota: Cada um desses homens foi preparado por Deus de uma maneira sobrenatural, para que resistissem a um jejum tão longo. Se eles tivessem que se apoiar em suas próprias forças humanas, eles não teriam conseguido sobreviver por tanto tempo sem água e sem alimento. Períodos mais curtos de jejum estão registrados em (Daniel 10.2,3). Quando Daniel jejuou durante três semanas para entender uma visão. Em Atos 27.9-35, os discípulos jejuaram quatorze dias, durante uma viagem perigosa. Ester pediu ao povo que jejuasse por três dias quando foi interceder por eles diante do Rei (Ester 4.16). E o Rei Dario também jejuou na noite em que Daniel foi lançado na cova dos leões. (Daniel 6.18).

Quando jejuarmos é importante levarmos em conta nossas limitações físicas.
Quando jejuarmos devemos avaliar a urgência do problema pelo qual vamos jejuar, para que em espírito de oração possamos determinar a duração do jejum. É aconselhável consultar um médico antes de fazer um jejum prolongado, ou mesmo até de mais de uma refeição quando se tem alguma dúvida na saúde. Inclusive porque, o nosso sacrifício deve ser de louvor e adoração a Deus, e não penoso desorientado que só trará danos físicos.

O que devemos fazer enquanto jejuamos?
1) Orar: "Voltei o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e rogos, com jejum, e saco e cinza."(Daniel 9.3).
2) Confessar pecados. "E no dia vinte e quatro deste mês se ajuntaram os filhos de Israel com jejum e com sacos, e traziam terra sobre si. E a geração de Israel se apartou de todos os estranhos, e puseram-se em pé, e fizeram confissão dos seus pecados e das iniqüidades de seus pais . (Neemias 9.1,2).
3) Ler as Sagradas Escrituras. A oração comunica os nossos pensamentos a Deus e Ele se comunica conosco através da Sua Bendita e Santa Palavra, a Bíblia Sagrada. "Entra pois tu, e lê pelo rolo (pergaminho) que escreveste da minha boca as palavras do Senhor aos ouvidos do povo, na casa do Senhor, no dia do jejum; e também aos ouvidos de todo o Judá, que vem das suas cidades, a lerás".(Jeremias.36.6).
4) Devemos ter uma boa aparência física, enquanto mantemos uma atitude interior de humildade e oração. "Porém tu, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto, para não pareceres aos homens que jejuas, mas a teu Pai que está em oculto, te recompensará". (Mateus 6.17,18).

São grandes os benefícios do jejum e da oração. Aumenta o poder do nosso testemunho e das orações. Rompe com as vicissitudes da carne. Renova o espírito de humildade, submissão e comprometimento com Deus. Estimula a obediência e o fervor espiritual. Abre-nos as portas para que Deus estabeleça em nós o Seu grande propósito e a Sua soberana vontade. E sempre aqueles que quiserem sentir e transmitir um fortíssimo impacto do Evangelho estarão envolvidos neste significativo ministério do Jejum e Oração. (fonte: Revelada a Chave da Oração)

Imprimir   Email
Encontrou um erro de digitação? Por favor, selecione-o e pressione Ctrl + Enter.